Haiiro To Ao

Kenshi Yonezu

Original Tradução Original e tradução
Haiiro To Ao

sodetake ga obotsukanai no natsu no owari
akegata no densha ni yurarete omoidashita
natsukashii ano fuukei
takusan no toomawari wo kurikaeshite
onaji you na machinami ga tada toorisugita
mado ni boku ga utsutteru

kimi wa ima mo ano koro mitai ni iru no darou ka
hishagete magatta ano jitensha de hashirimawatta
bakabakashii tsunawatari hiza ni nijinda chi
ima wa nandaka hidoku munashii

doredake setake ga kawarou to mo
kawaranai nani ka ga arimasu you ni
kudaranai omokage ni hagemasare
ima mo utau ima mo utau ima mo utau

sewashinaku machi wo hashiru takushii ni
bon'yari to se owareta mama kushami wo shita
mado no soto wo nagameru
kokoro kara furueta ano shunkan ni
mou ichido deaetara ii to tsuyoku omou
wasureru koto wa nain da

kimi wa ima mo ano koro mitai ni iru no darou ka
kutsu wo katahou shigemi ni otoshite sagashi mawatta
nani ga arou to bokura wa kitto umaku iku to
mujaki ni waraeta hibi wo oboeteiru

doredake buzama ni kitzutsukou to mo
owaranai mainichi ni hanataba wo
kudaranai omokage wo oikakete
ima mo utau ima mo utau ima mo utau

asahi ga noboru mae no kaketa tsuki wo
kimi mo doko ka de miteiru kana
naze ka wake mo nai noni mune ga itakute
nijimu kao kasumu iro

imasara kanashii to sakebu ni wa
amari ni subete ga ososugita kana
mou ichido hajime kara arukeru nara
surechigau you ni kimi ni aitai

doredake setake ga kawarou to mo
kawaranai nani ka ga arimasu you ni
kudaranai omokage ni hagemasare
ima mo utau ima mo utau ima mo utau

asahi ga noboru mae no kaketa tsuki wo
kimi mo doko ka de miteiru kana
nani mo nai to waraeru asahi ga kite
hajimari wa aoi iro

Cinza e Azul

O final do verão, quando o comprimento da manga é incerto
Agitado pelo trem da madrugada e relembrando
Aquela paisagem nostálgica
Tomando tantos desvios, mais e mais
A paisagem semelhante passando por mim
Eu vejo meu reflexo na janela

Eu me pergunto se você ainda é o mesmo que era naquela época
Correndo por aí naquela moto amassada e torta
Estupidamente equilibrando em uma corda, o sangue jorrando no seu joelho
Agora todos se sentem terrivelmente vazios

Não importa o quanto nossas alturas possam mudar
Eu rezo para que haja uma coisa que permaneça imutável
Encorajado pelos traços tolos e persistentes
Eu ainda canto, eu ainda canto, eu ainda canto

Em um táxi, correndo por uma cidade movimentada
Eu espirrei, algo vagamente pesando em mim
E eu olho pela janela
Naquele momento, enquanto eu tremia do meu coração
Eu queria tanto poder te encontrar novamente
Eu nunca poderia te esquecer

Eu me pergunto se você ainda é o mesmo que era naquela época
Perdendo um sapato em um matagal, procurando por ele
Dizendo: Aconteça o que acontecer, eu sei que vai funcionar para nós
Eu lembro dos dias em que podíamos rir tão inocentemente

Não importa o quão feia e machucada eu possa ficar
Eu vou dar um buquê para esses dias intermináveis
Perseguindo os traços tolos e persistentes
Eu ainda canto, eu ainda canto, eu ainda canto

Eu me pergunto se você está em algum lugar, observando a mesma Lua
Como diminui antes do Sol nascente
Por nenhuma razão, de alguma forma, meu peito cresce
Seu rosto borrando, cores se tornando nebulosas

Eu me pergunto se é tarde demais
Para eu gritar minha tristeza, depois de todo esse tempo
Eu gostaria de te encontrar de novo, como se estivéssemos apenas passando um ao outro
Eu quero te pedir desculpas

Não importa o quanto nossas alturas possam mudar
Eu rezo para que haja uma coisa que permaneça imutável
Perseguindo os traços tolos e persistentes
Eu ainda canto, eu ainda canto, eu ainda canto

Eu me pergunto se você está em algum lugar, observando a mesma Lua
Como diminui antes do Sol nascente
Uma manhã em que podemos rir de tudo
Nosso começo foi azul

Enviada por Amanda e traduzida por elaine. Legendado por Rafael. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Kenshi Yonezu

Ver todas as músicas de Kenshi Yonezu