Cabelo Black

Kayuá

Gigante do mundo ao norte
Kayuá, rwa! F2l no beat, he!
Mic check, one, two
Vida longa aos reis
Salve Suarez

The mic check, one, two, waw!
Cabelo black, get down
Hip-hop, cuspo no seu hit pop
Com gingado do James Brown
Do prensado do ziplock
Meu roteiro sobe o cheiro do seu medo, Hitchcock
E a cor do rap é preta
Quem se ofende é tolo
Come sua fatia, mas não esquece quem fez esse bolo
Orgulho ferido
Saiu do leito
O que precisa de tratamento não é meu cabelo
É seu conceito
E eles são firmes
Como papéis levados com o vento
Rap não é convento
Quero provar pratos, mulheres que só sei de nome
Só ler o cardápio não mata fome
Vai, julga ela de puta pela aparência
Sei bem seu perfil
Se a saia dela é curta, espera pra ver o pavio
De quem se cansou da segregação racial e diária, diária
Justificativas não apagam falhas
Méritos que não se medem com medalhas
Se eu decidi jogar com tudo que eu tenho
Pra eles só resta jogar a tollha
Procurei motivos pra me preocupar
E não encontrei vocês por lá
Vivem das mentiras que falam
Programa da Sônia
Ouvi seu disco, resolvi meu problema de insônia
Hahahaha
Ai, vem

Quem atira, não avisa
Por isso vocês só fala
Bandido que é bandido
Não mete bronca, mete bala

Quem atira, não avisa
Por isso vocês só fala
Bandido que é bandido
Não mete bronca, mete bala


Posts relacionados

Ver mais no Blog