Um Conto Homicida

K o d a

Seus passos que podem se escutados a dois passos (de mim)
Seus olhos me dizem que não vou ter bom final
E seus passos que podem se escutados a dois passos (do fim)
Seus olhos me dizem que não vou ter bom final

Uma noite fria, pensamentos como cinzas, passa o tempo
Não há como parar
Uma mente assassina, sorriso que contagia e risos
A morte está no ar

O que podem fazer se a saída não acha?
De algum jeito as vozes vão parar
Não há como entender o que dentro se passa
E não há como ajudar

Seus passos que podem se escutados a dois passos (de mim)
Seus olhos me dizem que não vou ter bom final
E seus passos que podem se escutados a dois passos (do fim)
Seus olhos me dizem que não vou ter bom final

E sem encontrar o fim vai buscar o que acha
Que as vozes vão parar
Isso não é ruim menos um não faz falta
E no fim irá gostar

Seus passos que podem se escutados a dois passos (de mim)
Seus olhos me dizem que não vou ter bom final
E seus passos que podem se escutados a dois passos (do fim)
Seus olhos me dizem que não vou ter bom final


Posts relacionados

Ver mais no Blog