O Eco da Cruz

Jonatas Ribeiro

Há mistério, oculto nessa morte, que história sombria é contada na cruz.
Por que ainda, o monte calvário, insiste ocupar o centro do mundo
Por que o homem chamado Jesus, merece toda a minha atenção?
Por que o tempo parece que não passa, na pungente senda da cruz
Este mistério, só é revelado, aos que desejam graça e perdão
A cruz é um grito desesperado, o maior apelo de salvação

Ouço a voz que ecoa da cruz, com poder libertador
Boas novas que viajam no tempo, a mais perene história de amor

O eco da cruz ressoa até mim
O eco da cruz é o sopro no monte calvário
O sangue vertido no tempo, o resgate da vida na morte
O grito de Deus pra me salvar

Quantos reis foram esquecidos, sepultados com honras e glórias
Seus impérios foram dizimados, e os seus guerreiros já foram velados
Mas nunca houve um evento maior que o íngreme percurso da cruz
Foi quando Deus perpetuou a vida, outorgando a morte ao homem Jesus

Nem mesmo a morte calou sua voz, pois dentre os mortos, ressuscitou
Não há, o que possa conter, o reverbero, o eco da cruz

Composição: Pedro Marques
Enviada por Junior.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Jonatas Ribeiro

Ver todas as músicas de Jonatas Ribeiro