No. 7

Jibaku Shounen Band

Original Tradução Original e tradução
No. 7

soredewa
saa katarimashou ka nanbaa sebun

e? haa? ikki ichiyuu kako mo mirai mo
(nee nee) kaidan jou uri futatsu tsutawaru kage
(naisho naisho gutai nashi)
hi genjitsu ni mazaru amai kajitsu

hai hai saisan itte kikasetatte
(hora hora) shiku hakku mattaku motte kiicha inai na
(naisho kitai nashi)
shosen wa uwasabanashi moushuu no kengen sa
(naisho kitai nashi shiranai kobanashi)

juufuu gou mitai na esoragoto o asa hiru ban
rokkon shoujou wa oroka sodatanai kagamigusa
i uon some majikku
nanse nakute nanakuse nante fukanzen de
mikansei dakara agaiterun da

amaneku kotoba yaiba furikazashite
warau uso no kamen o kabutte
(kimi wa hitori) dareka no tame ni kizutsui te
tsumi to batsu no sono hazama
dare mo inai ano basho ni wa
kitto irun da

saa katarimashou ka nanbaa sebun

(ano ne ano ne ano ne ano ne naisho banashi
dokokade kiita kimi to dake no himitsu dakara)
yomaigoto ni magireta hidoku moroi shinjitsude sae mo
(naisho naisho gutai nashi shiganai ohanashi)
tabun itsuka no uwasabanashi sono mi o sonjite

icchou isseki bakari de minogashite iku ni no mai
chousan boshi de fukashi katasukashi ichi ni san shi
mirai misaki minai kagami shijima meisei no kachi
ichi ka bachi ka tsunaatari tte hachi wa nai daro?

yottsu you sura kuireba
shiku de hakku sa hikuteamata
nana koronde bachi ga ataru
oide oide kiki kaikai
wagami hachi kuse mada ni fukanzen de
mikansei dakara mokaiterun da

amaneku kotoba yaiba furikazashite
toboke warai uso o kasanete
(zutto inashi)
heiki na furi shite gomakashita
tsumi to bachi no sono hazama
potsuri hitori ano basho ni wa
kitto irunda

kako o kakushi na o fusete tsukasadoru unmei no saki
ichido kaetan dakara mata kaete yarou ze
douka douka to inotte
sugaru saki de tsukitsukerareta
(nanimokawaranai yo)
sono kotaenara jōtōda

amaneku kotoba yaiba furikazashite
warau uso no kamen o kabutte
(kimi wa hitori) dareka no tame ni kizutsuite
tsumi to bachi no sono hazama
daremo inai ano basho ni wa
kyō mo iru nda

saa katarimashou ka nanbaa sebun
nee oshiete yo tsuzuki o

No. 7

E agora, então
Vamos fofocar? No número sete

Eh? Hã? Em um instante feliz e triste, no passado e no futuro
(Ei, Ei) De dentro dos rumores surgem duas sombras
(A paixão transformada em nada mais)
Há uma doce fruta maculada com o irreal

Certo, certo, mesmo se eu te contar de novo e de novo
(Percebe, Percebe) Você não está escutando atentamente
(A paixão transformada em nada mais)
Depois de tudo, a coisa que nos é chata é de fato a dura realidade
(Essas são as cinco histórias que conheço sem alguma espectativa.)

De manhã, dia e noite, como dez ventos e cinco tempestades os rumores circulam eternamente
Sem me converter em um coração puro
Dando as costas ao espelho imutável
Se quer alguma magia dos sete mistérios, não somos perfeitos
Estamos lutando porque somos incompletos

Balançando a espada e as palavras, para longe
Pois estávamos usando a máscara da mentira
(Você, naquele lugar) No lugar onde ninguém existe
Entre o pecado e a punição
Não há ninguém naquele espaço
Mas com certeza ele estará lá

Vamos fofocar? No número sete

(Ei, Ei, Eu, conte-me um segredo
Eu o ouvi em algum lugar, por isso só pode ser contado entre nós
Não perderei para você, nem mesmo se a minha memória mostrar a frágil verdade
(História que de fato não é concreta.)
Nós alcançaremos isso, é como a realidade, é como um rumor de algum tempo atrás

Toda tarde e manhã, parece idiota, a segunda dança, a terceira manhã, o quarto crepúsculo
Primeiro, segundo, terceiro, quarto (morte)
Veja o futuro, o espelho que não consegue olhar se torna solitário
É o primeiro? O oitavo? Espera, não tem o oitavo

Até a biblioteca das quatro, se você se arrepender
Se transforma em quatro dores, oito dores, acumulando vários problemas
Em sete rodadas de golpes de punição
Venha, venha mistério horripilante
Os hábitos do meu corpo, tudo, nunca se torna perfeito, então
Estamos lutando porque somos incompletos

Balançando a espada e as palavras, para longe
Por favor alcance, a risada, as mentiras sobrepostas
(Ele ainda continua lá)
Eu ofusquei os detalhes fingindo estar bem
Entre o pecado e a punição
Quieto, sozinho, naquele lugar
Mas com certeza ele estará lá

Ocultando o passado, cegando a vista, e rumando em frente ao destino que está chegando ao seu término
Mudei-o uma vez, então vou mudar de novo
O fim de nosso tempo
Mesmo estando amarrado
(Nada irá mudar)
A resposta é totalmente clara

Balançando a espada e as palavras, para longe
Pois estávamos usando a máscara da mentira
(Você, naquele lugar) No lugar onde ninguém existe
Entre o pecado e a punição
Não há ninguém naquele espaço
Ainda hoje ele não saiu de lá

Vamos fofocar? No número sete
Ei, me conte mais um pouco sobre aquela história

Composição: Anchor
Enviada por Arely e traduzida por Maria. Revisões por 5 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Jibaku Shounen Band

Ver todas as músicas de Jibaku Shounen Band