Do Nada, Me Jogaram Aos Leões

Jay Vaquer

Do nada, me jogaram aos leões
Tive que rugir em alto e bom tom
Feito quem prefere rir daquelas jubas :
"mas que prazer
Em rever vocês,
Meus amigos
Amestrados!
Já pensaram em ver
Esses dentes cariados?"

O leão mais forte ordenou :
"nem pense em fugir, vamos por partes
Começando pela parte que interessa :
Quando você
Quer conhecer
Seus amigos
Mastigados
Pra satisfazer
Nossos dentes afiados?"

No sinal
O espetáculo vai começar
Garantindo sua diversão
A cobertura dos abutres já no ar !
Por sinal
O espetáculo já terminou
Pra recomeçar noutra versão
Dura até que o sangue pare de jorrar...

Mas pra poder convalescer,
Os amigos derrotados
Vão esmorecer
No "sopão dos desdentados"

No sinal
O espetáculo vai começar
Garantindo sua diversão
A cobertura dos abutres já no ar !
Por sinal
O espetáculo já terminou
Pra recomeçar noutra versão
Dura até que o sangue pare de jorrar...

E a plateia faz ideia
De também ter a sua plateia
Nessa alcateia de cordeiros

Um estranho sem tamanho
Nada ganho, tão tacanho
O curioso rebanho de lobos

E a plateia faz ideia
De não ter a panaceia
Nessa alcateia de cordeiros

Um estranho sem tamanho
Acompanho que arreganho
O curioso rebanho de lobos

Rugidos ouvidos
Por surdos e mudos
Urrando de fome por beleza

A versão dos fatos: aversão aos fatos!
Na riqueza e na pobreza
Até que a sorte lhes repare...

Composição: Jay Vaquer
Enviada por Gleibi. Legendado por Pedro.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog