La Quiero a Morir (part. Alejandro Sanz)

Jarabe de Palo

Original Tradução Original e tradução
La Quiero a Morir (part. Alejandro Sanz)

Y yo, que hasta ayer solo fui un holgazán
Y hoy soy el guardián de sus sueños de amor
La quiero a morir

Podéis destrozar todo aquello que veis
Porque ella de un soplo lo vuelve a crear
Como si nada, como si nada
La quiero a morir

Ella borra las horas de cada reloj
Y me enseña a pintar transparente el dolor
Con su sonrisa

Levanta una torre desde el cielo hasta aquí
Y me cose unas alas y me ayuda a subir
A toda prisa, a toda prisa
La quiero a morir

Conoce bien cada guerra
Cada herida, cada ser
Conoce bien cada guerra
De la vida y del amor también

Me dibuja un paisaje y me lo hace vivir
En un bosque de lápiz se apodera de mí
La quiero a morir

Y me atrapa en un lazo que no aprieta jamás
Como un hilo de seda que no puedo soltar
No puedo soltar, no quiero soltar
La quiero a morir

Cuando trepo a sus ojos, me enfrento al mar
Dos espejos de agua, encerrada en cristal
La quiero a morir

Solo puedo sentarme, solo puedo charlar
Solo puedo enredarme, solo puedo aceptar
Ser solo suyo, tan solo suyo
La quiero a morir

Conoce bien cada guerra
Cada herida, cada ser
Conoce bien cada guerra
De la vida y del amor también

Conoce bien cada guerra
Cada herida, cada ser
Conoce bien cada guerra
De la vida y del amor también

Conoce bien cada guerra
Cada herida, cada ser
Conoce bien cada guerra
De la vida y del amor también

Y yo, que hasta ayer solo fui un holgazán
Y hoy soy el guardián de sus sueños de amor
La quiero a morir

Podéis destrozar todo aquello que veis
Porque ella de un soplo lo vuelve a crear
Como si nada, como si nada
La quiero a morir

Eu Morro Por Ela

E eu que até ontem
Eu era apenas um preguiçoso
E hoje sou o guardião
Dos seus sonhos de amor
Eu morro por ela

Você pode destruir
Tudo o que você vê
Porque ela de um sopro
O volta a criar
Como nada
Como nada
Eu morro por ela

Ele apaga as horas
Cada relógio
E me ensinou a pintar
De transparente a dor
Com seu sorriso

Levanta uma torre
Desde o céu até aqui
Me costure as asas
E me ajude a subir
De pressa
De pressa
Morro por ela

Conhece bem cada guerra
Cada ferida, cada ser
Conhece bem cada guerra
Da vida e do amor também

Eu desenhe em uma paisagem
E me faça viver
Em um bosque de lápis
Aproveite-se de mim
Eu morro por ela

E eu me peguei em um laço
Que não aperta nunca
Como um fio de seda
Que não posso soltar
Não posso soltar
Não quero soltar
Eu morro por ela

Quando subo a seus olhos
Eu enfrento o mar
Dois espelhos de água
Fechados em cristal
Eu morro por ela

Eu só posso sentar
Eu só posso falar
Eu só posso complicar
Eu só posso aceitar
Ser somente seu
Só seu
Eu morro por ela

Conhece bem cada guerra
Cada ferida, cada ser
Conhece bem cada guerra
Da vida e do amor também

Conhece bem cada guerra
Cada ferida, cada ser
Conhece bem cada guerra
Da vida e do amor também

E eu que até ontem
Eu era apenas um preguiçoso
E hoje sou o guardião
Dos seus sonhos de amor
Eu morro por ela

Você pode destruir
Tudo o que você vê
Porque ela de um sopro
O volta a criar
Como nada
Como nada
Eu morro por ela

Composição: Pau Donés / Alejandro Sanz
Enviada por Vanessa e traduzida por Vanessa.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Jarabe de Palo

Ver todas as músicas de Jarabe de Palo