Às vezes, o amor

Janeiro

Às vezes o amor não fica onde queres
Chega e fica a dor sem pedir permissão
Entra com a brisa
Espalha-se pelo chão
Envolve tudo ao seu redor

Às vezes o amor não fica onde queres
Chega e fica a dor sem pedir permissão
Entra com a brisa
Espalha-se pelo chão
Envolve tudo ao seu redor

Às vezes o amor não fica onde queres
Chega e fica a dor sem pedir permissão
Entra com a brisa
Espalha-se pelo chão
Envolve tudo ao seu redor

Às vezes o amor não fica onde queres
Chega e fica a dor sem pedir permissão
Entra com a brisa
Espalha-se pelo chão
Envolve tudo ao seu redor

Ele encontrou-a no chão, entregue, desistida
Vulnerável de tão dorida
Inanimada de tão consentida
Ele encontrou-a no chão espalhada
Humilhada de ser
Presságio temporal numa manhã de Carnaval
Ele encontrou-a no chão afeiçoada ao frio do cimento
Habituada à ausência do movimento
A pan-- (foda-se) A--
Ele encontrou-a no chão afeiçoada ao frio do cimento
Habituada à ausência do movimento
A compactuar com o silêncio
Ele encontrou-a no chão
Mais uma vez
Ele encontrou-a no chão
Se flutua-se não teria de enfrentar
Se desvanecesse talvez ela se eleva-se
Ele encontrou-a no chão
Inevitável sopro da sua monção
Ela encontrou-o no chão
Sucumbindo aos seus braços
Trémulos de apreensão
Sucumbindo sem outra opção
Sucumbindo sem outra opção

Ele encontrou-a no chão, entregue, desistida
Vulnerável de tão dorida
Inanimada de tão consentida
Ele encontrou-a no chão, entregue, desistida
Vulnerável de tão dorida
Inanimada de tão consentida
Ele encontrou-a no chão espalhada
Humilhada de ser
Ele encontrou-a no chão
Inevitável sopro da sua monção
Ela encontrou-o no chão
Sucumbindo aos seus braços
Trémulos de apreensão
Sucumbindo sem outra opção

Ela encontrou-o no chão, entregue, desistida
Vulnerável de tão dorida
Inanimada de tão consentida
Ele encontrou-a no chão espalhada
Humilhada de ser
Presságio temporal numa manhã de Carnaval
Ele encontrou-a no chão afeiçoada ao frio do cimento
Habituada à ausência do movimento
A compactuar com o silêncio
Ele encontrou-a no chão
Mais uma vez
Ele encontrou-a no chão
Se flutua-se não teria de a enfrentar
Se desvanecesse talvez ela se eleva-se
Se desvanecesse talvez ela se eleva-se

Ele encontrou-a no chão
Inevitável sopro da sua monção
Ela encontrou-a no chão
Sucumbindo aos seus braços
Trémulos de apreensão
Sucumbindo sem outra opção


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Janeiro

Ver todas as músicas de Janeiro