Blasphemian

Infant Annihilator

Original Tradução Original e tradução
Blasphemian

Ruins of monuments and foetal carcasses line the continents
Continuously crawling from the mouth of the abyss, my minions, viciously ingesting

They have come to conquer the cunt and slay the offspring
Harvesting the land of putridity, harnessing its treacherous essence
Aroused by the extermination: I, the apocalypse inseminator
Bow to my infestation; the era of infant annihilation

The stench of faeces and fertile flesh drifts across the dawn horizon
The moist skin of foetuses gleam as the Sun peaks through the darkness
The mist lingering over the lakes, now cesspools of human remains
Clears to reveal a mountainous landscape of piled cadavers

Perched upon my throne, foetal limbs falling from my teeth
Slaved harlots by my side sliding down my colossal cock
The conveyor belt descending the monolithic manor bearing the birthspawn of I
The Elysian Grandeval Galèriarch

Perched upon my throne, foetal limbs falling from my teeth
The mist lingering over the lakes, now cesspools of human remains
Clears to reveal a mountainous landscape of piled cadavers
The last great pharaoh to this bloodline of rape

A ruinous prophecy of blasphemous paedophilic triumph
We freely fondle and defile the desperate descendants
The angelic servants disfigured and maimed beyond all recognition or hope
Behold these fragile boys

They have seen too few winters to form their own regret
But their pain and desperation is hideously apparent

The stench of faeces and fertile flesh drifts across the dawn horizon
The moist skin of foetuses gleam as the Sun peaks through the darkness
Behold – Blasphemian

Infant annihilation

Blasfêmia

Ruínas de monumentos e carcaças fetais revestem os continentes
Rastejando continuamente da boca do abismo, meus asseclas, ingerindo viciosamente

Eles vieram para conquistar a boceta e matar a prole
Colhendo a terra da putrefação, aproveitando sua essência traiçoeira
Despertado pelo extermínio: eu, o inseminador do apocalipse
Curve-se à minha infestação; a era da aniquilação infantil

O fedor de fezes e carne fértil vaga no horizonte do amanhecer
A pele úmida dos fetos brilha enquanto o Sol aparece na escuridão
A névoa pairando sobre os lagos, agora fossas de restos humanos
Limpa para revelar uma paisagem montanhosa de cadáveres empilhados

Empoleirado em meu trono, membros fetais caindo dos meus dentes
Prostitutas escravas ao meu lado deslizando pelo meu pau colossal
A correia transportadora que desce a mansão monolítica com o nascimento do I
O Elysian Grandeval Galèriarch

Empoleirado em meu trono, membros fetais caindo dos meus dentes
A névoa pairando sobre os lagos, agora fossas de restos humanos
Limpa para revelar uma paisagem montanhosa de cadáveres empilhados
O último grande faraó com esta linhagem de estupro

Uma profecia ruinosa de triunfo pedofílico blasfemo
Nós livremente acariciamos e contaminamos os descendentes desesperados
Os servos angelicais desfigurados e mutilados além de todo reconhecimento ou esperança
Veja esses meninos frágeis

Eles viram poucos invernos para formar seu próprio arrependimento
Mas sua dor e desespero são terrivelmente aparentes

O fedor de fezes e carne fértil vaga no horizonte do amanhecer
A pele úmida dos fetos brilha enquanto o Sol aparece na escuridão
Contemple – Blasfêmia

Aniquilação infantil

Composição: Aaron Kitcher
Enviada por Marcilio e traduzida por Ju. Legendado por Cauan. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.


Posts relacionados

Ver mais no Blog