Winter, Again

Glay

Original Tradução Original e tradução
Winter, Again

Mukuchi na hito iki wa shiroku
Rekishi no fukai te ni hikarete
Osanai hi no kaerimichi
Rin to naru yukiji wo isogu
Gaitou no shita hira hira to
Kogoeru hoho ni maichiru yuki
Me wo tojireba mukahsi no mama
Kibishiku mo hibi tsuyoku ikiteru mono yo

Itsuka futari de ikitai ne
Yuki ga tsumoru koro ni
Umareta machi no ano shirosa wo
Anata ni mo misetai
Aitai kara koishikute
Anata wo omou hodo
Samui yoru wa mada mune no oku
Kane no ne ga kikoeru

Noshikakaru kumo wo miagete
Toki no hayasa no nagare ni tou
Daremo ga idaku kanashimi no
Shuuchaku eki wa doko ni aru no ka
Hidamari kureru sakamichi de
Wakasa no maboroshi to deai
Genki desu no hitokoto ni
Natsukashisa yori mo
Tomadoi tachidomaru

Sugisarishi youni yureru hana
Tooku wo mitsumeteta
Tsumetai kaze ni sarasareta
Ai wa ano hi kara ugokenai to
Aitai kara aenai yoru wa
Anata wo omoou hodo
Omoide ni wa futari ga aruita
Ashioto wo nokoshite

Furitsuzuku shiori yuki wa kokoro moyou sotto
Toutou to shiroi yuki wa
Mujou naru hito no yo wo
Subete yurusu you ni furitsuzuite yuku

Itsuka futari de ikitai ne
Yuki ga tsumoru koro ni
Umareta machi no ano shirosa wo
Anata ni mo misetai
Aitai kara koishikute
Anata wo omou hodo
Samui yoru wa mada mune no oku
Kane no ne ga kikoeru
Aitai kara aenai yoru wa
Anata wo omoou hodo
Omoide ni wa futari ga aruita
Ashioto wo nokoshite

Inverno, Novamente

Conduzido pela história
Povo calado respira o ar branco
Quando pequeno, no caminho de volta
Todo branco e silencioso
Flocos de neve caindo no meu rosto
Debaixo das iluminações nas ruas
Fechados os olhos
Vejo esse povo superando a vida difícil igualmente aquela época

Um dia, que tal viajarmos juntos
Quando estiver tudo coberto de neve
Queria te mostrar
Aquela cor branca da minha cidade
Morro de saudades
E de tanta vontade de te ver
Nas noites frias
Ainda ouço aquelas badaladas no fundo do peito

Pergunto à corrente do tempo
Ao olhar as nuvens pesadas
Onde termina a tristeza
Comum de todo mundo
Na ladeira ensolarada no pôr do Sol
Vi a ilusão de minha juventude
Senti mais embaraço
Do que saudade
Quando ela me disse: Estou bem

Flor abalada pelo passado
Estava contemplando de longe
O amor deixado aos ventos frios
Ficou preso no tempo desde aquele dia
Nas noites sem você
Morro de saudade
E de tanta vontade de te ver
Deixando nossas pegadas nas lembranças

Neve branca interminável reflete o meu coração silenciosamente
Sem parar
A neve continua como se fosse perdoar
Este mundo onde nada é para sempre

Um dia, que tal viajarmos juntos
Quando estiver tudo coberto de neve
Queria te mostrar
Aquela cor branca da minha cidade
Morro de saudades
E de tanta vontade de te ver
Nas noites frias
Ainda ouço aquelas badaladas no fundo do peito
Nas noites sem você
Morro de saudades
E de tanta vontade de te ver
Deixando nossas pegadas nas lembranças

Composição: Takuro
Enviada por Jesiel e traduzida por Talita. Revisões por 4 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Glay

Ver todas as músicas de Glay