Alazão

Filipe Catto

De qualquer jeito é cedo
De qualquer jeito há medo
De qualquer jeito
A força vem do braço
Ou da palavra sai

Corre
Toca o alazão, meu pai
Na poeira cinzenta, o sol
E o cavalo vai
Na poeira cinzenta, o sol
E o cavalo vai

Estrela branca na testa, alazão
Me veste de perneira e de gibão
Arranca meu sorriso do chão
Abre os meus braços na imensidão
Abre os meus braços na imensidão

Qualquer soluço é pressa
Qualquer dinheiro é pouco
Qualquer desejo é reza
Qualquer promessa só da boca sai

Corre
Toca o alazão, meu pai
Na poeira cinzenta, o sol
E o cavalo vai
Na poeira cinzenta, o sol
E o cavalo vai

Estrela branca na testa, alazão
Me veste de perneira e de gibão
Arranca meu sorriso do chão
Abre os meus braços na imensidão
Abre os meus braços na imensidão
Abre os meus braços

Há um direito e um torto, cavalo ê
Eu não estou bem morto, cavalo ê
Corre na areia, no vento, cavalo ê
No mato seco do tempo, cavalo ê
Pula da torre da igreja
Pula por cima da mesa
Pula da torre da igreja
Pula por cima da mesa


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Filipe Catto

Ver todas as músicas de Filipe Catto