The Drug In Me Is Reimagined

Falling In Reverse

Original Tradução Original e tradução
The Drug In Me Is Reimagined

I heard a knock upon my door the other day
I opened it to find death staring in my face
The feel of mortal stalking still reverberates
Everywhere I go, I drag this coffin just in case

My body's trembling sends shivers down my spine
Adrenaline kicks in, shifts into overdrive
Your secrets keep you sick, your lies keep you alive
Snake eyes every single time you roll with crooked dice

I felt the darkness as it tried to pull me down
The kind of dark that haunts a hundred-year-old house
I wrestle with my thoughts, I shook the hand of doubt
Running from my past, I'm praying: Feet, don't fail me now

I've lost my goddamn mind, it happens all the time
I can't believe I'm actually meant to be here
Trying to consume, the drug in me is you
And I'm so high on misery, can't you see?

I’ve got these questions always running through my head
So many things that I would like to understand
If we are born to die and we all die to live
Then what's the point of living life if it just contradicts?

I felt the darkness as it tried to pull me down
The kind of dark that haunts a hundred-year-old house
I wrestle with my thoughts, I shook the hand of doubt
Running from my past, I'm praying: Feet, don't fail me now

I've lost my goddamn mind, it happens all the time
I can't believe I'm actually meant to be here
Trying to consume, the drug in me is you
And I'm so high on misery, can't you see?

I've lost myself
You tried to reach me, but you just can't help me
So long, goodbye
You tried to save me, it won't work this time 'cause now

I've lost my fucking mind, and there's no fucking time
I can't believe I'm actually meant to be here
Trying to consume, the drug in me is you
And I'm so high on misery, can't you see?

Can't you see?
Can't you see?
Can’t you, can’t you
Can’t you see?
Can’t you see?

A Droga Em Mim É Reinventada

Ouvi dia desses um bater na porta
Eu a abri para descobrir a morte a me encarar
A sensação da perseguição mortal me inda soa
E aos lugares todos levo o caixão só por precaução

Meu corpo treme, move arrepios pela espinha
Adrenalina me abate, torna-se extenuante
Seus segredos te adoecem, tuas mentiras avivam
Olhos de megera toda vez que rolas dados incertos

Senti a escuridão como tentasse me tombar
O tipo de treva que assombra casas centenárias
Digladio-me cos pensamentos, cumprimento a dúvida
Correndo do passado, eu rezo: Pés, não me decepcionem agora

Enlouqueci-me, e isso se me dá toda hora
Não posso crer que de fato sou destinado para estar aqui
Dando-me a tentativa de consumir, a droga em mim és tu
E estou tão drogado em miséria, não vês?

Tenho estas perguntas sempre à cabeça minha
Tantas coisas que gostaria de compreender
Se nascemos para morrer e morremos todos para viver
Então qual o sentido de se viver a vida se se contradiz?

Senti a escuridão como tentasse me tombar
O tipo de treva que assombra casa centenária
Digladio-me cos pensamentos, cumprimento a dúvida
Correndo do passado, eu rezo: Pés, não me decepcionem

Enlouqueci-me, e isso se me dá toda hora
Não posso acreditar que de fato sou destinado para estar aqui
Dando-me a tentativa de consumir, a droga em mim és tu
E estou tão drogado em miséria, não vês?

Eu a mim me perdi
Tentaste alcançar-me, mas não pode me ajudar
Até mais, adeus
Tentaste salvar-me, não funcionará agora pois

Perdi a porra da lucidez, e não há mais a porra do tempo
Não posso crer que de fato sou destinado para estar aqui
Dando-me a tentativa de consumir, a droga em mim és tu
E estou tão drogado em miséria, não vês?

Não vês?
Não vês?
Tu não, tu não
Tu não vês?
Não podes ver?

Composição: Ronnie Radke
Enviada por Joao e traduzida por Claudio. Legendado por amauri. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Dicionário de pronúncia

Ver mais palavras

Posts relacionados

Ver mais no Blog