Não Há Quem Aguente

Falcão

Baby, você diz que eu não lhe procuro mais
Como é que eu posso se você não se esconde?
E quando eu acho você não me atende
Inventa um lero uma conversa um etcetera e tal

Agora que eu fiquei bom da fimose
Cortei o cabelo mandei lavar o carro
Fiz o retorno larguei o cigarro
Procitei conforme manda o paragrafo d

Eu quero ficar com você
Mas você é só num sei o quê, num sei o quê
Num sei o que lá, num sei o quê
E ai meu bem não há quem aguente, não há quem aguente
E aí meu bem não há quem aguente, não há quem aguente

Baby se eu falhei em alguma ocasião
Foi uma pane psico-levantativa
É que eu ando preocupado com a vida
Com o que se passa em nossa casa e no meio ambiente

Além dos problemas domésticos
E do aumento do nível das águas do oceano
Você ainda inventa tudo quanto é bom
Só pra piorar a vida da gente

E sendo assim meu bem, não há quem aguente
Não há quem aguente
E sendo assim meu bem, não há quem aguente
Não há quem aguente

Agora eu vou mudar meu jeito e daqui pra frente
Prometo não lhe deixar mais de hoje pra trás
Não sem antes beijar-lhe a boca e adjacências
Não necessariamente nessa sequência

Eu quero ficar com você
Mas você é só num sei o quê, num sei o quê
Num sei o que lá, num sei o quê
E ai meu bem não há quem aguente, não há quem aguente
E aí meu bem não há quem aguente, não há quem aguente


Posts relacionados

Ver mais no Blog