Inimigo do Estado

Facção Central

No vai e vem apertado da selva de pedra (vai, vai, vai)
O corpo mirrado nunca se entrega (não, não)
Entre Jesus, Marias e o Diabo
Os deuses por aqui são vários
Mas nunca, nunca são escutados

É o espelho da alma
Do caos, da lama
E de quem mata
De quem ama
De quem chora
E de quem sangra

De quem ainda respira
E se vira sem fama
O sangue que escorre é nosso
Não é ator, a vida é real
Não é onda
É um mar de gente dizendo adeus

Eu? Eu sou apenas um eco
De milhares, de milhões iguais a mim
Que lutaram, que tombaram
Pra que hoje pudéssemos existir

Não me apago
Me refaço
Toda vez que subo no palco
Eu sou de um lugar
Onde as lágrimas são escondidas pelo suor

Durante o esforço em meio aos destroços (pessoas)
Onde o futuro é nosso carrasco
Mal trato
Mas tão desejado

Sou filho, a filha
Sou tudo que quero ser
E quando olho no espelho da alma
Eu vejo você (faccionário, faccionária)

A vida é uma crônica
Entende?
E seu pior inimigo
Ainda é a sua mente

Composição: Crônica Mendes / DumDum / Facção Central
Enviada por Flávio.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog