Mi Parli Piano

Emma Marrone

Original Tradução Original e tradução
Mi Parli Piano

La felicità è un’idea semplice
Davanti ai tuoi occhi
Tra l’aria che respiri
E quella che
Difficilmente trattieni
Abbiamo già un vissuto
Che a dire il vero
Somiglia più ad un conflitto
Il cuore spesso offeso
Da un dito che
Tu mi hai puntato al petto

Se gli occhi non riescono
A raccontarti ciò che vedi
Proverò io a dirtelo
Perché all’evidenza non ci credi

È troppo tempo che mi parli piano
Son troppi gli anni che ci conosciamo
Avremmo messo su un palazzo intero
E invece ci divide un muro
È troppo tempo che mi parli piano
O sei un ricordo lontano
È amore o solo un’ossessione
È un vento caldo
Troppo caldo che si muore
È caldo che si muore

Gioco a far la guerra perché
L’amore non mi ha mai dato tregua
Ma se ti avrò di fronte
Ancora un’altra volta
Nel dubbio, farò la cosa più giusta
Se gli occhi non riescono
A raccontarti I miei pensieri
Proverò a descriverli

Un po’ tutti, anche quelli più neri

È troppo tempo che mi parli piano
Son troppi gli anni che ci conosciamo
Avremmo messo su un palazzo intero

E invece ci divide un muro
È troppo tempo che mi parli piano
O sei un ricordo lontano
È amore o solo un’ossessione
È un vento caldo
Troppo caldo che si muore

Siamo qui
Tra un passo incerto e l’utopia
Di un equilibrio ritrovato
Noi siamo qui
In un percorso parallelo
Ci tocchiamo senza mai incontrarci

Se gli occhi non riescono
A raccontarti ciò che vedi
Proverò io a dirtelo
Perché all’evidenza tu non credi

È troppo tempo che mi parli piano
Son troppi gli anni che ci confondiamo
Avremmo messo su un palazzo intero
E invece ci divide un muro
È troppo tempo che mi parli piano
O sei un ricordo lontano
È amore o solo un’ossessione
È un vento caldo
Troppo caldo che si muore
È caldo che si muore
Attento che si muore

Fale Comigo Devagar

Felicidade é uma ideia simples
Diante de seus olhos
Entre o ar que você respira
E aquele que
Você dificilmente retém
Nós já temos uma experiência vivida
Que dizer a verdade
Parece mais um conflito
O coração é muitas vezes ofendido
De um dedo que
Você apontou para o meu peito

Se os olhos falharem
Para te dizer o que você vê
Vou tentar te dizer
Porque evidentemente você não acredita

É muito longo para você falar comigo devagar
Há muitos anos que nos conhecemos
Nós teríamos colocado um prédio inteiro
Em vez disso, uma parede nos divide
É muito longo para você falar comigo devagar
Ou você é uma memória distante
É amor ou apenas uma obsessão
É um vento quente
Muito quente que você morra
Está quente que você morra

Eu faço guerra porque
O amor nunca me deu descanso
Mas se eu vou encarar você
Ainda outra hora
Em caso de dúvida, farei a coisa certa
Se os olhos falharem
Para te contar meus pensamentos
Vou tentar descrevê-los

Um pouco de tudo, até os mais negros

É muito longo para você falar comigo devagar
Há muitos anos que nos conhecemos
Nós teríamos colocado um prédio inteiro

Em vez disso, uma parede nos divide
É muito longo para você falar comigo devagar
Ou você é uma memória distante
É amor ou apenas uma obsessão
É um vento quente
Muito quente que você morra

Estamos aqui
Entre um passo incerto e a utopia
De um saldo redescoberto
Estamos aqui
Em um caminho paralelo
Nos tocamos sem nunca nos encontrarmos

Se os olhos falharem
Para te dizer o que você vê
Vou tentar te dizer
Porque evidentemente você não acredita

É muito longo para você falar comigo devagar
Estamos confundindo muitos anos
Nós teríamos colocado um prédio inteiro
Em vez disso, uma parede nos divide
É muito longo para você falar comigo devagar
Ou você é uma memória distante
É amor ou apenas uma obsessão
É um vento quente
Muito quente que você morra
Está quente que você morra
Cuidado que você morra

Enviada por Marcelo e traduzida por Nadson.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog