É Disso Que o Velho Gosta / Vanerão Rasgado

Eliane Camargo

Eu sou um peão de estância
Nascida lá no galpão
E aprendi, desde criança
A honrar a tradição

Meu pai era um gaúcho
Que nunca conheceu luxo
Mas viveu folgado, enfim

E quando alguém perguntava
Do que ele mais gostava
O velho dizia assim

Churrasco, bom chimarrão
Fandango, trago e mulher
É disso que o velho gosta
É isso que o velho quer

Churrasco, bom chimarrão
Fandango, trago e mulher
É disso que o velho gosta
É isso que o velho quer

Saí da minha fazenda
E me soltei pelo pago
E hoje eu tenho um gaúcho
Para me fazer afagos

E quando vier um piazinho
Para enfeitar nosso ninho
Mais alegria vou ter

E se ele me perguntar
Do que se deve gostar
Como meu pai, vou dizer

Churrasco, bom chimarrão
Fandango, trago e mulher
É disso que o velho gosta
É isso que o velho quer

Churrasco, bom chimarrão
Fandango, trago e mulher
É disso que o velho gosta
É isso que o velho quer

Quando eu chego no baile
Quero muita animação
Peço logo ao sanfoneiro
Vem, me toque um vanerão

Gosto muito de dançar
Assim me sinto feliz
E se o sanfoneiro é bom
Vou logo pedindo bis

Sanfona chora, apaixonada
Nesse vanerão rasgado
Eu atravesso a madrugada

Sanfona chora, apaixonada
Nesse vanerão rasgado
Eu atravesso a madrugada

Sanfona chora, apaixonada
Nesse vanerão rasgado
Eu atravesso a madrugada

Sanfona chora, apaixonada
Nesse vanerão rasgado
Eu atravesso a madrugada

Composição: Berenice Azambuja / Gildo Campos / Joel Marques / Jotha Luiz
Enviada por Anderson.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog