Invencible

Dulce María

Original Tradução Original e tradução
Invencible

Soy como el viento, no me detengo
Dejo mi esencia donde quiera que voy
Vivo el hoy

No tengo miedo, levanto el vuelo
Y aunque de urgencia deba aterrizar
Vuelvo a despegar

Una más, y otra más
Ciérrenme las puertas, que las vuelvo a derrumbar
Y además, me hacen cada vez más fuerte

Enciérrame, yo sé cómo escaparme
Y bórrame, tengo la tinta para reiventarme
Es simple, yo soy invencible, mi alma no se rinde
Entiérrame, que soy semilla y para mí no hay imposibles
Soy invecible, yo soy invecible

Tengo raspones y cicatrices
Mi piel ya es armadura contra el mal
Aunque no soy de metal

Una más, y otra más
Ciérrenme las puertas, que las vuelvo a derrumbar
Y además, me hacen cada vez más fuerte

Enciérrame, yo sé cómo escaparme
Y bórrame, tengo la tinta para reiventarme
Es simple, yo soy invencible, mi alma no se rinde
Entiérrame, que soy semilla y para mí no hay imposibles
No sé rendirme, yo soy invencible

No tengo miedo, mantengo el vuelo
Si hay turbulencia sé cómo aguantar
Salto del suelo hasta el mismo cielo
Mi fe me eleva siempre más allá

Enciérrame, yo sé cómo escaparme
Y bórrame, tengo la tinta para reiventarme
Es simple, yo soy invencible, mi alma no se rinde
Entiérrame, que soy semilla y para mí no hay imposibles

Enciérrame, yo sé cómo escaparme
Y bórrame, tengo la tinta para reiventarme
Es simple, yo soy invencible, mi alma no se rinde
Entiérrame, que soy semilla y para mí no hay imposibles

Invencível

Sou como o vento, não me detenho
Deixo minha essência onde quer que vou
Vivo o hoje

Não tenho medo, levanto voo
E ainda que tenha que pousar de emergência
Volto a decolar

Uma mais e outra mais
Me fechem as portas, que volto a derrubá-las
E aliás, me fazem cada vez mais forte

Me prenda, eu sei como escapar
E me apaga, tenho a tinta pra me reinventar
É simples, eu sou invencível, minha alma não se rende
Me enterre, que sou semente e pra mim não existe impossível
Sou invencível, eu sou invencível

Tenho arranhões e cicatrizes
Minha pele já é armadura contra o mal
Ainda que eu não seja de metal

Uma mais e outra mais
Me fechem as portas, que volto a derrubá-las
E aliás, me fazem cada vez mais forte

Me prenda, eu sei como escapar
E me apaga, tenho a tinta pra me reinventar
É simples, eu sou invencível, minha alma não se rende
Me enterre, que sou semente e pra mim não existe impossível
Não sei me render, eu sou invencível

Não tenho medo, mantenho o voo
Se há turbulência, sei como aguentar
Salto do solo até o mesmo céu
Minha fé me eleva sempre mais alto

Me prenda, eu sei como escapar
E me apaga, tenho a tinta pra me reinventar
É simples, eu sou invencível, minha alma não se rende
Me enterre, que sou semente e pra mim não existe impossível

Me prenda, eu sei como escapar
E me apaga, tenho a tinta pra me reinventar
É simples, eu sou invencível, minha alma não se rende
Me enterre, que sou semente e pra mim não existe impossível

Composição: Luigie Gzz
Enviada por Patrick e traduzida por Dulce. Legendado por gerciane. Revisão por Karoll.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Dulce María

Ver todas as músicas de Dulce María