Angélica

CTS Kamika-Z

Viaja não firma, sente essa parada
Look, CTS, Kamikaze

É Angélica hoje a noite é sua
Começa com absolut termina com amarula
É Angélica, minha dama de branco
Vai me visitar é hoje, escreve o que eu tô falando

Bota Angélica na mesa, serve essa Angelica Jolie
Com blunt, hidropônico, gelo com bacardi
Bota Angélica ai ó, enrola os peixe azul
Corta, estica passa a vez o raio, pra ficar susu

Dama de branco que desperta e tira o sono
Néctar da viagem, vem dentro de um saquinho branco
Angélica faz ladrão amar e nunca mais esquecer
Angélica faz seu olfato de subverter

Química da morte, corrosiva, cocaína
É branca, bela e deixa a língua adormecida
No baile, tem na loja, tem de grama nos pino
O frevo tem na quina, tem ó, boca de kilo

E é nessa que as paquita se envolve, até que raia o dia
Angélica no raio, no papel, na branquinha
E é nessa que os bandidos se envolvem, até que raia o dia
Angélica, codinome cocaína

Branca como a neve, salgada como o mar
Dama que encanta e adormece o paladar
Mulher de branco, Angelina Jolie da favela
Codinome cocaína é ela (Angélica)

Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)

Andando sozinho com várias, penso em você
Nossos momentos são raros, e hoje não sei o que vai ser
Não sei se quero bem, não sei se quero mais
Angélica, volte pra mim

Do rico ao pobre, do frio da noite
Dos tempos antigos, aos dias de hoje
Sinto sua falta, não me procure mais
Angélica, você destrói corações

E foi por tudo isso que te abandonei
Mas você voltou pra mim, minha eu não chamei
Vai passar das 23
E meu horário com você já desmarquei

Pois arrependido, amanhã te querendo
Vários envolvidos em sua vida mexendo
Um homem com poucos amores, eu me sinto assim
Angélica, por favor volte pra mim

Branca como a neve, salgada como o mar
Dama que encanta e adormece o paladar
Mulher de branco, Angelina Jolie da favela
Codinome cocaína é ela (Angélica)

Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)

Já me visitou, ela já me fez companhia
Foi minha dama de branco, nas noites frias
Isso exala junto ao Campari, espanta a zica
Meu carona na carreta, e o pião da R1

Nas baladas de sabadeira, lá tava eu de Angélica
E no outro dia, ressaca sem ela e as numera
Noiva de bandido, sereia escamada
Os polícia não gosta da princesa de véu e grinalda

Meu ofalto sente o odor, meu faro é fino
Nóis se acaba dois no quarto dos raio de pino
Eu te disse, enrola o de plástico e te estica
Você me satisfaz Angélica, e eu deliro

Meu coração acelera, minha pressão sobe
As mãos soa, as vista busca alucinógeno
Tic tic nervoso, língua dormente, vê se pode?
A maldita da Angélica me causou overdose

Branca como a neve, salgada como o mar
Dama que encanta e adormece o paladar
Mulher de branco, Angelina Jolie da favela
Codinome cocaína é ela (Angélica)

Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)
Codinome cocaína é ela (Angélica)


Posts relacionados

Ver mais no Blog