Memória Celeste

China

Ninguém vai dizer pra onde tenho que ir
não sou metade, vou inteiro
Do nascer do sol ao acaso no vento aventureiro
Paraísos artificiais tentam me tirar do seu espelho
E assim pra sempre o céu vai ser de novo o lar
aqui na terra eu fico a me perguntar
se qualquer dia vou ter mesmo meu lugar
Ninguém vai me dizer pra onde tenho que ir
não sou metade, vou inteiro.
Paraísos artificiais tentam me tirar do seu espelho
Na memória da historia vai simbora o que se fez
nessa hora o que vigora e outro agora vai nascer

Posts relacionados

Ver mais no Blog