Parce Que Tu Crois

Charles Aznavour

Original Tradução Original e tradução
Parce Que Tu Crois

Parce que tu crois
Que tu es ma faiblesse
Tu me blesses
Me meurtris
Et te joues de moi
Comme de toutes choses
Et disposes
De ma vie
Et jour et nuit

Parce que tu crois
Être ma raison d'être
Tu fais naître
Ma douleur
Et bien malgré toi
En tout cas je le pense
Tu dépenses
Le bonheur
Qui vit dans mon coeur

Un jour peut venir
Demain peut-être ou bien dans l'avenir
Ou qui sait mon Dieu
Le destin viendra pour brouiller les jeux

Tout ce que tu crois
Être à toi sans réserve
Comme un rêve au matin
Peut brisant ta loi
Laisser tes yeux humides
Et le vide dans tes mains

Parce que tu crois
Que je suis un esclave
Une épave
De l'amour
Tu puises tes joies
Et tu forges tes armes
Dans les larmes
Sans secours
De mon coeur lourd

Parce que tu crois
Que je fus mis au monde
Pour que blonde
Déchaînée
Tu me mènes au pas
Sans faire sacrifice
D'un caprice
D'une idée
D'enfant gâtée

Quand tout sera mort
Quand la passion aura quitté mon corps
Je me reprendrai
Et je te quitterai sans un regret

Parce que je crois
Qu'un jour dans un sourire
Je vais dire
Que nous deux
C'est fini tu vois
Et qu'enfin il me reste
Que le geste
De l'adieu

Porque Você Acredita

Porque você acredita
Que você é minha fraqueza
Você me machuca
Me magoa
E brinca comigo
Como com todas as coisas
E dispõe
Da minha vida
Dia e noite

Porque você acredita
Ser minha razão de ser
Você faz nascer
A dor em mim
E, apesar de você
Em todo caso, acho
Você gasta
A felicidade
Que mora no meu coração

Um dia pode vir
Amanhã, talvez ou, então, no futuro
Em que, quem sabe, meu Deus
O destino virá para embaralhar os jogos

Tudo o que você acredita
Ser seu sem reservas
Como um sonho pela manhã
Pode, desrespeitando sua lei
Deixar seus olhos molhados
E o vazio nas suas mãos

Porque você acredita
Que eu sou um escravo
Um destroço
Do amor
Você busca suas alegrias
E forja suas armas
Nas lágrimas
Sem o socorro
Do meu coração pesado

Porque você acredita
Que eu fui posto neste mundo
Para que, sendo loira
Desenfreada
Você me dirija
Sem sacrificar
Um capricho
Uma ideia
De criança mimada

Quando tudo estiver morto
Quando a paixão tiver deixado meu corpo
Vou me corrigir
E vou te deixar, sem arrependimento

Porque eu acredito
Que um dia, com um sorriso
Eu direi
Que nós dois
Acabou, entende?
E que, finalmente, só me resta
O gesto
De adeus

Composição: Charles Aznavour
Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog