Lagoa serena
É a face desse homem
Lugar onde passarinho água não bebe
Nem pede pousada
Arriba desse ar sereno
Alguém de sobreaviso
Onde quem manda é a piranha
Serra fina
Saberá...

Saberá... Saberá...

Seu sangue é terra
Que ninguém pisa, ninguém conhece
Na trama que emaranha da teia
Ê... Chapadão deserto
Do peito tudinho aberto
Onde só ele se apruma
Onde os cavalos suam sal e espuma
Saberá... Saberá...

Lagoa serena
É a face desse homem
Viver é perigoso
Na memória, carteira, palmatória
E na mira de um tiro
Fincado na palha e no gereba
Saberá... Saberá...

Não é a toa que as djaniras no campo em flor
São filhas do menor chuvisco
Saberá... Saberá...

Composição: Israel Semente / Xangai
Enviada por Mari.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Cátia de França

Ver todas as músicas de Cátia de França