Alma de Viajante

Carranca

Meus joelhos já não são os mesmos de antes
Pra subir esse monte
A sede de viver me projeta pra longe
Ampliando o horizonte
A se revelar
Nem sei por onde vou

E se cair uma tempestade é sinal de boa sorte
Já me benzi fazendo arte, esse é o nosso esporte
Já me perdi na encruzilhada, minha faca tá amolada
Me cansei mas mergulhei na cachoeira

Caminhando pra frente sinto o peso de um bonde
Medito como um monge
Pra não me cansar
Nem sei aonde estou
A gente mete o loko e segue adiante
Alma de viajante

Pra gente chegar alto tem que bater o pé
Pensa! Corre! Só para pro café!
Pra gente chegar longe tem que chegar com axé!
Força! Sorte e abraça a sua fé!

Às vezes os meus sonhos me parecem distantes
E eu sou um louco errante

Pra gente chegar alto tem que bater o pé
Pensa! Corre! Só para pro café!
Pra gente chegar longe tem que chegar com axé!
Força! Sorte e abraça a sua fé!

E se cair uma tempestade é sinal de boa sorte
Já me benzi fazendo arte, esse é o nosso esporte
Já me perdi na encruzilhada, minha faca tá amolada
Me cansei mas mergulhei na cachoeira

Encaro o mundo improvisando
Cada dia uma solução
É difícil se manter de pé, neguin
Cada trilha uma oração
Be lucky! Não pare!
Respira com vontade
Vibrando com a sorte
Bem forte com humildade

É desistir que não pode
É desistir que não pode
É desistir que não pode
É desistir que não pode

Pra gente chegar alto tem que bater o pé
Pensa! Corre! Só para pro café!
Pra gente chegar longe tem que chegar com axé!
Força! Sorte e abraça a sua fé!
Fé!!

Composição: MC Mãe
Enviada por Paulo.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Carranca

Ver todas as músicas de Carranca