Gaivotas

Carlos Ramos

Um bando de gaivotas maneirinhas
Voando em voos francos por entre o mar e os céus
Agitam suas asas tão branquinhas
Lembrando lenços brancos a dizerem adeus

E sempre por capricho original
Essas gaivotas vão até ao fim da rota
E hora a hora no mastro real
Sem luta, sem questão, descansa uma gaivota

Gaivotas, mensageiras sem ter par
Que levam de Lisboa saudades p'ra além mar
Gaivotas que voando sempre à toa
Nos trazem de além-mar, saudades para Lisboa

Voando sem cansaço, sem fadiga
Acompanhando as naves lá vão cumprindo a lida
Nos velhos marinheiros há quem diga
Que essas mesmas aves regressam à partida

Por isso as gaivotas maneirinhas
Voando em voos francos por entre o mar e os céus
Lembram com as asas tão branquinhas
Um mar de lenços brancos a dizerem adeus


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Carlos Ramos

Ver todas as músicas de Carlos Ramos