Intro (Quarenta)

Carlão

Quarenta ampolas
É difícil por isso na cabeça
É difícil acreditar
Eu olho-me ao espelho e continuo a ver

O mesmo puto de sempre
O mesmo parvo de sempre
Talvez um pouco mais experiente
Siga!

Casas cheias outras vazias
Tantas plateias já perdi os dias
Se me visses há uns anos nunca dirias
Que ia estar aqui a tirar fotografias

Vai acima vai abaixo
O que eu vier eu encaixo
Tudo que eu vivo quando baixo
À cave onde escrevo a minha vida
À nave donde faço a partida

5-30 deu-me a moral
Frederico e Gula feel imortal
E eu não quero um emprego normal
Onde ganhe dinheiro mas vá bater mal

O que eu faço é o que eu sou
O que fiz também, mas já passou
E eu não fico a pensar no passado
Não, eu não fico a sonhar acordado

Quarenta!
(Para a grande mulher que é a minha mãe)
Como se fossem vinte
Quarenta!

(Cota alvim, meu Bro jay)
E tanto pela frente
Quarenta!
(Minha mulher, minha filha mais uma semente a caminho)

Há espera do seguinte
Quarenta!
(Toda a família Doninha)
Seguro e ciente

Muita música para ser feita
Deito as sementes logo faço a colheita
Mas abre os presentes antes da deita
Não sei se acordo com uma dor suspeita

Tantos manos que bazaram
Tantos que lerparam
No caminho que traçaram
Nunca pensaram que um dia isto acaba

Só que deixaram lágrimas e baba
Por isso eu tenho que dar valor aquilo que importa
A quem merece o meu amor
Se me vires na rua mostra calor

Ódio eu não tenho seja por quem for
O que eu faço é o que eu sou
O que fiz também mas já passou
Não tenho tempo para ficar ressabiado
Por isso eu ponho as merdices de lado

Quarenta!
(Sejam bem vindos à minha festa de anos)
Como se fossem vinte
Quarenta!
(Minhas manas e meus manos)

E tanto pela frente
Quarenta!
(Obrigado por todo o apoio, todo o amor de sempre)
Há espera do seguinte
Quarenta!
(Vai começar)
Seguro e ciente

Enviada por Nélio. Revisão por João.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog