Primera Carta (part. Beret)

Cali Y El Dandee

Original Tradução Original e tradução
Primera Carta (part. Beret)

Llevo tiempo pensando que tú ya no eres mía
No sé si fue el orgullo o fue la monotonía
Nos mató la costumbre, ya no hay Luna que alumbre
Ni Sol que te quite lo fría

¿De qué sirve la noche si tú no estás de día?
¿De qué sirve escribirte si nunca me leías?
Y me gasté la vida entre el humo y la bebida
Intentando curar esta herida

Ay de mí
¿Qué me va a pasar si no te tengo aquí?
Cada beso tuyo me duele, tú me dueles, cómo duele
Después de tanto amor, mira lo poco que quedó de mí
Dime cómo dejo de pensar en ti
Vuélveme a decir que me quieres
Si me quieres, ¿qué más quieres?

Puedes llorar un mar
Que ya no hay barco que rescato nos pueda salvar
Y aunque tenga golpes de suerte, el dolor golpea igual
Y guardé mil momentos pa' ti que no podemos vivir nunca ya

Claro que intento darle vid
A cada día lo que está muriendo
Siempre brillando por fuera, pero mal por dentro
Pensábamos que éramos tan ricos
Pero acabamos pagando nuestros recuerdos

Y sé que el camino lo aclaraste y yo me volví ciego
Será porque lo más difícil es ver lo bueno
Un día viendo el Sol contigo, y al otro me quemo
Échame y no de menos

Y cien batallas tuvimos pa' solucionar un duelo
Una tempestad contigo es pa' apreciar el cielo
No poder dormir apenas pa' alcanzar un sueño
Que ahora está tan lejos

Ay de mí
¿Qué me va a pasar si no te tengo aquí?
Cada beso tuyo me duele, tú me dueles, cómo duele
Después de tanto amor, mira lo poco que quedó de mí
Dime cómo dejo de pensar en ti
Vuélveme a decir que me quieres
Si me quieres, ¿qué más quieres?

Dime si tú ya no me quieres
Bebé, dime si me cogiste bronca
Si quieres chocolate, te consigo a Willy Wonka
Yo te subo al cielo, es más, si quieres, el cielo te lo bajo
Y mando a todas las mujeres pa'l carajo

Y si te hice algo malo, dame tiempo, que yo lo reparo
El doctor dijo que si sigo así, a mí me va a dar un paro
Mil canciones te escribí, ya no salgo de la cabina
Y pa' poder dormir, me tomo como trece aspirinas

Que me dopen, y aunque trate que no se me note
Lloro adentro, río afuera, es una cárcel sin barrotes
Y me choco con la realidad, tú ya no estás aquí
Vuelve a mí porque sin ti, yo me voy a morir

Y aunque parece que no somos el uno para el otro
Sé que puedo, si me dejas, curarte el corazón roto
Yo te amo y sé que tú me amas demasiado
Como para destruir este amor, que aún no ha comenzado
Porque

Ay de mí
¿Qué me va a pasar si no te tengo aquí?
Cada beso tuyo me duele, tú me dueles, cómo duele
Después de tanto amor, mira lo poco que quedó de mí
Dime cómo dejo de pensar en ti
Vuélveme a decir que me quieres
Si me quieres, ¿qué más quieres?

Si me pediste todo y por amor, yo todo te lo di
Ay, dime cómo dejo de pensar en ti
Vuélveme a decir que me quieres
Si me quieres, ¿qué más quieres?

Primeira Carta (part. Beret)

Faz um tempo que ando pensando que você não é mais minha
Não sei se foi por causa do orgulho ou da monotonia
A rotina acabou com a gente, não tem mais Lua que ilumine
Nem Sol que te tire sua frieza

De que adianta a noite sem você aqui de dia?
De que adianta te mandar mensagem se você nunca me lia?
Passei toda a minha vida fumando e bebendo
Para tentar curar esta ferida

Ai de mim
O que vai acontecer comigo sem você aqui?
Cada beijo seu me machuca, você me machuca, machuca muito
Depois de tanto amor, olha o pouco que sobrou de mim
Me diga como parar de pensar em você
Diga de novo que me ama
Se você me ama, o que mais você quer?

Você pode chorar um mar inteiro
Já não existe barco capaz de nos resgatar e nos salvar
E embora eu tenha um pouco de sorte, a dor machuca da mesma forma
Guardei mil momentos para você que nunca mais poderemos viver

É claro que tento ressuscitar
Aquilo que está morrendo a cada dia que passa
Sempre radiante por fora, mas péssimo por dentro
Pensávamos que éramos tão ricos
Mas nossas lembranças acabou custando caro

Sei que você deixou as coisas claras e eu fiquei cego
Deve ser porque é mais difícil enxergar o lado bom de tudo
Em um dia, estou vendo o Sol contigo, e no outro me queimo
Você sente muito e não é minha falta

Passamos por cem batalhas para resolver um duelo
Uma tempestade com você é para apreciar o céu
Não poder dormir só para alcançar um sonho
Que agora está tão distante

Ai de mim
O que vai acontecer comigo sem você aqui?
Cada beijo seu me machuca, você me machuca, machuca muito
Depois de tanto amor, olha o pouco que sobrou de mim
Me diga como parar de pensar em você
Diga de novo que me ama
Se você me ama, o que mais você quer?

Me diga se você não me ama mais
Meu bem, me diga se você ficou com raiva de mim
Se você quiser chocolate, eu te dou o Willy Wonka
Te levo ao paraíso, aliás, se preferir, trago o paraíso até você
E mando todas as outras mulheres para o inferno

Se fiz algo de errado, me dê um tempo, que eu conserto
O médico disse que se eu continuar assim, vou ter um infarto
Compus mil músicas para você, não saio mais do estúdio
E para poder dormir, tomo umas treze aspirinas

Que me deixam dopado, e mesmo que eu tente disfaçar
Choro por dentro, rio por fora, é uma prisão sem grades
E dou de cara com a realidade, você não está mais aqui
Volte para mim, porque sem você, eu vou morrer

E embora não pareça que fomos feito um para o outro
Se você deixar, sei que consigo curar o seu coração partido
Eu te amo e sei que você me ama demais
Para destruir este amor, que ainda nem começou
Porque

Ai de mim
O que vai acontecer comigo sem você aqui?
Cada beijo seu me machuca, você me machuca, machuca muito
Depois de tanto amor, olha o pouco que sobrou de mim
Me diga como parar de pensar em você
Diga de novo que me ama
Se você me ama, o que mais você quer?

Você me pediu tudo e, por amor, eu te dei tudo o que pediu
Ai, me diga como parar de pensar em você
Diga de novo que me ama
Se você me ama, o que mais você quer?

Composição: Beret / El Dandee / Cali / Kevyn Mauricio Cruz Moreno / Bull Nene / Andres Torres
Enviada por Ana e traduzida por Pedro. Legendado por Taylor.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog