Fernande

Georges Brassens

Original Tradução Original e tradução
Fernande

Une manie de vieux garçon
Moi, j'ai pris l'habitude
D'agrémenter ma solitude
Aux accents de cette chanson

Quand je pense à Fernande
Je bande, je bande
Quand j'pense à Félicie
Je bande aussi
Quand j'pense à Léonore
Mon Dieu je bande encore
Mais quand j'pense à Lulu
Là, je ne bande plus
La bandaison papa
Ça n'se commande pas

C'est cette mâle ritournelle
Cette antienne virile
Qui retentit dans la guérite
De la vaillante sentinelle

Quand je pense à Fernande
Je bande, je bande
Quand j'pense à Félicie
Je bande aussi
Quand j'pense à Léonore
Mon Dieu, je bande encore
Mais quand j'pense à Lulu
Là, je ne bande plus
La bandaison papa
Ça n'se commande pas

Afin de tromper son cafard
De voir la vie moins terne
Tout en veillant sur sa lanterne
Chante ainsi le gardien de phare

Quand je pense à Fernande
Je bande, je bande
Quand j'pense à Félicie
Je bande aussi
Quand j'pense à Léonore
Mon Dieu, je bande encore
Mais quand j'pense à Lulu
Là, je ne bande plus
La bandaison papa
Ça n'se commande pas

Après la prière du soir
Comme il est un peu triste
Chante ainsi le séminariste
À genoux sur son reposoir

Quand je pense à Fernande
Je bande, je bande
Quand j'pense à Félicie
Je bande aussi
Quand j'pense à Léonore
Mon Dieu, je bande encore
Mais quand j'pense à Lulu
Là, je ne bande plus
La bandaison papa
Ça n'se commande pas

À l'Étoile où j'étais venu
Pour ranimer la flamme
J'entendis ému jusqu'aux larmes
La voix du soldat inconnu

Quand je pense à Fernande
Je bande, je bande
Quand j'pense à Félicie
Je bande aussi
Quand j'pense à Léonore
Mon Dieu, je bande encore
Mais quand j'pense à Lulu
Là, je ne bande plus
La bandaison papa
Ça n'se commande pas

Et je vais mettre un point final
À ce chant salutaire
En suggérant au solitaire
D'en faire un hymne national

Quand je pense à Fernande
Je bande, je bande
Quand j'pense à Félicie
Je bande aussi
Quand j'pense à Léonore
Mon Dieu, je bande encore
Mais quand j'pense à Lulu
Là, je ne bande plus
La bandaison papa
Ça n'se commande pas

Fernanda

Uma mania de solteirão
Eu me acostumei
A alegrar minha solidão
Com os acordes desta canção

Quando penso em Fernanda
Eu fico de pau duro
Quando penso na Felícia
Fico de pau duro também
Quando penso em Leonor
Meu Deus, ainda fico
Mas, quando penso em Lulu
Aí, não fico mais
O tesão, papai
Não se controla

É este estribilho macho
Esta antífona viril
Que ressoa na guarita
Da valente sentinela

Quando penso em Fernanda
Eu fico de pau duro
Quando penso na Felícia
Fico de pau duro também
Quando penso em Leonor
Meu Deus, ainda fico
Mas, quando penso em Lulu
Aí, não fico mais
O tesão, papai
Não se controla

A fim de entreter o desânimo
De ver a vida menos sem-graça
Ao vigiar sua lanterna
Assim canta o faroleiro

Quando penso em Fernanda
Eu fico de pau duro
Quando penso na Felícia
Fico de pau duro também
Quando penso em Leonor
Meu Deus, ainda fico
Mas, quando penso em Lulu
Aí, não fico mais
O tesão, papai
Não se controla

Após a prece da noite
Como fica um pouco triste
Canta assim o seminarista
De joelhos sobre o genuflexório

Quando penso em Fernanda
Eu fico de pau duro
Quando penso na Felícia
Fico de pau duro também
Quando penso em Leonor
Meu Deus, ainda fico
Mas, quando penso em Lulu
Aí, não fico mais
O tesão, papai
Não se controla

Ao Arco do Triunfo aonde vim
Para reacender a chama
Ouvi, comovido até as lágrimas
A voz do soldado desconhecido

Quando penso em Fernanda
Eu fico de pau duro
Quando penso na Felícia
Fico de pau duro também
Quando penso em Leonor
Meu Deus, ainda fico
Mas, quando penso em Lulu
Aí, não fico mais
O tesão, papai
Não se controla

E vou pôr um ponto final
A este canto salutar
Sugerindo ao solitário
Que faça dele um hino nacional

Quando penso em Fernanda
Eu fico de pau duro
Quando penso na Felícia
Fico de pau duro também
Quando penso em Leonor
Meu Deus, ainda fico
Mas, quando penso em Lulu
Aí, não fico mais
O tesão, papai
Não se controla

Composição: Georges Brassens
Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog