LETRAS.MUS.BR - Letras de músicas

Conheça o artista

Projota: conheça as melhores músicas de um dos maiores nomes do rap nacional

Por Camila Fernandes

20 de Junho de 2019, às 07:00


O rapper Projota lançou seu terceiro álbum de estúdio, Tributo Aos Sonhadores I, em abril de 2019. O disco é autobiográfico, conta um pouco da história de Projota e foi usado pelo cantor como uma forma de demonstrar sua gratidão por tudo o que conquistou até agora.

Rapper Projota
Créditos: Divulgação

E as conquistas não são só pessoais: ao lado de nomes como Emicida, Rashid e Criolo, Projota ajudou a construir a segunda geração do rap brasileiro, marcada por transformações importantes que abriram portas para que o estilo se tornasse mais popular.

Além de tudo isso, a humildade do cantor chama atenção: ele sempre faz questão de ressaltar suas origens e de mostrar como cada pequena conquista foi importante no caminho. Que tal relembrar as principais músicas e saber mais sobre a história do rapper? Se liga aí!

5 músicas mais famosas do Projota

Projota é conhecido no mundo do rap por ter ajudado a provocar transformações nesse universo e suas músicas refletem bem essas mudanças. Em relação às letras, o cantor consegue, sem tirar o foco dos problemas sociais, também trabalhar com um lado mais intimista e reflexivo, falando de amor e de assuntos mais banais do dia a dia. E vamos combinar que não faltam frases inspiradoras nas músicas dele!

O cantor ainda quebra outro protocolo da primeira geração do rap ao aceitar parcerias com cantores de outros estilos — ele já gravou com a Anitta, com o Jota Quest, com o colombiano J Balvin e até com a dupla Anavitória. Bora conferir as 5 músicas mais famosas do Projota?

Ela Só Quer Paz

Ela Só Quer Paz foi lançada no DVD 3Fs em 2016 e foi sucesso imediato, principalmente depois de entrar para a trilha sonora de Malhação: Pro Dia Nascer Feliz no mesmo ano.

Muleque de Vila

Muleque de Vila também é de 2016 e continua sendo um dos maiores sucessos do cantor. Não é para menos: além de ser um relato de Projota sobre sua trajetória, a letra ainda traz uma forte mensagem de incentivo aos jovens que esperam ter o mesmo sucesso que o cantor. O refrão da música diz: Vai, vai lá, não tenha medo do pior/ Eu sei que tudo vai mudar/ Você vai transformar o mundo ao seu redor/ Mas não vacila, muleque de vila.

Linda

Linda é uma parceria de Projota com a dupla Anavitória. A música foi lançada em 2017 e se tornou sucesso imediato, mas deixou uma pergunta que continua sendo feita desde que o clipe foi lançado, e que chegou a virar meme na época: afinal, o que é que o Gabriel Jesus tá fazendo alí? Os fãs concluíram que nem ele mesmo sabia 🤣

Mulher Feita

A música Mulher Feita e uma exaltação à força feminina. O clipe tem várias bailarinas, mas é a protagonista que mais chama atenção: a atriz Paolla Oliveira aparece dançando e contracenando com o cantor. Ela já afirmou que se identificou muito com a mulher descrita pela música, e nós não duvidamos nem um pouco de que foi a escolha perfeita.

A Rezadeira

Talvez essa seja uma das músicas do cantor que mais se parece com as letras tradicionais do rap, com críticas sociais fortes e tendo uma comunidade como cenário. A Rezadeira, na história da música, é a mãe que protege o filho apesar de todos os problemas.

Um longo caminho antes de se tornar Projota

José Tiago Sabino Pereira é o nome completo do cantor Projota. Ele nasceu no dia 11 de abril de 1986 em Lauzane Paulista, um bairro da Zona Norte de São Paulo. Ainda aos 7 anos de idade, bem antes de pensar em se tornar Projota, o menino perdeu a mãe, que deixou para o filho o gosto pela música e pela composição.

O Tiago de 11 anos era fã de rock e se inspirava em Legião Urbana e Guns N’ Roses para compor suas primeiras músicas. O interesse pelo rap veio só mais tarde, por volta dos 16 anos. Nessa época ele chegou a fazer parte de dois grupos independentes. Em um deles, o Dom da Rima, cantava ao lado do rapper Rashid, que era conhecido como Moska.

O primeiro nome artístico do cantor foi JT, que depois virou Jotatê. Como o nome era comum demais, ele foi buscar outra coisa e acabou se batizando de pro J (o “pro” vem de “profissional”). A pronúncia era boa, mas a escrita ainda deixava dúvidas. Depois de muita pesquisa, nasceu o Projota.

Carreira independente e primeiras gravações

Projota começou sua carreira nas batalhas de MCs — ele venceu três vezes a batalha de Santa Cruz e quatro vezes a Rinha dos MCs, ambas na Zona Sul de São Paulo. Ele também chegou na final da Liga dos MCs de 2007, que naquela época era a competição mais importante do país.

Ainda no início de sua carreira, quando nem sonhava em ter um computador, Projota fazia suas gravações com Rashid, amigo e companheiro de estrada. O processo era mais ou menos assim: com um toca fitas, Projota gravava o som do violão. Depois eles colocavam novamente a mesma fita e Rashid fazia o beat box em cima daquele ritmo. Com o som pronto, eles voltavam a fita pela terceira vez e gravavam as rimas. Quanto trabalho, hein? 😅

Quando conseguiu um computador, tudo ficou mais fácil. Seu primeiro DVD foi gravado de forma completamente independente, com a ajuda de amigos. Como ele divulgava suas músicas? No MySpace e no extinto Orkut!

Quem conheceu o Orkut provavelmente se lembra que a rede social tinha limite de amigos. Isso mesmo, você não conseguia adicionar mais do que mil pessoas, o que era muito pouco para alguém que queria se promover. É por isso que Projota tinha dez perfis 😱, todos lotados, e mandava recados para todos eles sempre que lançava uma música.

Discografia

Em 2008, Projota começou a fazer sucesso no YouTube com a música Acabou. No mesmo ano ele começou a gravar seu primeiro EP, Carta Aos Meus. Já em 2010, ele gravou mais dois projetos independentes: Projeção e Projeção Pra Elas.

Capa de Carta Aos Meus, primeiro EP de Projota
Capa de Carta Aos Meus / Créditos: Divulgação

Seu terceiro projeto foi o DVD Realizando Sonhos (2011), gravado ao vivo em Curitiba. Antes de ter contrato com uma grande gravadora ele ainda lançou mais três mixtapes independentes: Não Há Lugar Melhor No Mundo Que o Nosso Lugar (2011), Eu Sou Livre (2012) e Muita Luz (2013).

Capa do álbum Realizando Sonhos, de Projota
Capa do álbum Realizando Sonhos / Créditos: Divulgação

Depois de alcançar certa notoriedade no universo do rap, Projota assinou contrato com a Universal, com a qual já gravou três álbuns de estúdio — Foco, Força e Fé (2014), A Milenar Arte de Meter o Louco (2017), e seu lançamento mais recente, Tributo Aos Sonhadores I (2019).

Capa do álbum Foco, Força e Fé, de Projota
Capa do álbum Foco, Força e Fé / Créditos: Divulgação

O segundo DVD do cantor, 3Fs, foi lançado em 2016 também pela Universal. Mesmo já tendo uma gravadora, Projota ainda fazia suas próprias vendas no metrô e na porta dos shows. Foi assim que ele conseguiu vender 25 mil cópias do DVD e recebeu seu primeiro disco de ouro.

Tributo Aos Sonhadores I

Capa do álbum Tributo Aos Sonhadores I, de Projota
Capa do álbum Tributo Aos Sonhadores I / Créditos: Divulgação

Como já dissemos, o novo álbum de Projota, Tributo Aos Sonhadores I, é um projeto autobiográfico. Assim como já fez em outras canções, o cantor usa momentos marcantes de sua própria história para compor as músicas.

O single Celta Vermelho, por exemplo, é sobre o primeiro carro que o cantor comprou, logo no começo de sua carreira, e teve que parcelar em 60 prestações. Ele já afirmou várias vezes que considera a compra do carro como o marco do início de seu sucesso profissional, e é sobre isso que a música fala.

Na capa do álbum, Projota aparece com os olhos fechados e com as mãos postas 🙏, demonstrando toda sua gratidão não só pelo disco, mas por todas as histórias que o compõem.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a história doTributo Aos Sonhadores I, escute o álbum completo e se emocione com as músicas e com a história do Projota!