Listas musicais

10 músicas com críticas sociais que você precisa conhecer

Por Camila Fernandes

12 de Fevereiro de 2020, às 06:30


A música tem o poder de despertar sentimentos e transmitir as mais diversas mensagens.

Ela também pode ser um registro histórico, falar sobre os problemas de uma época e ajudar a construir a identidade de um lugar. Essa é a função social da música, que existe desde que o primeiro acorde foi tocado!

Algumas músicas trazem críticas tão profundas que ficam sempre atuais. Outras conseguem manter o ritmo e a animação, deixando a mensagem subentendida nas entrelinhas.

Assim, a música se torna uma ferramenta política, que questiona, enfrenta, e dá voz a quem mais precisa. Ficou curioso? Bora ouvir nossa seleção de músicas com críticas sociais!

Músicas com críticas sociais

Criminalidade, violência, desigualdade, censura — são muitos os assuntos que já entraram em pauta nas músicas de diferentes estilos. Olha só! 

Apesar de Você — Chico Buarque

Vamos começar por um período da história do Brasil que é cheio de músicas bem politizadas, algumas com letras explícitas, outras nem tanto: a ditadura civil-militar

Apesar de Você, do Chico Buarque, passou pelo filtro da censura da época e houve até quem pensasse que música que falava sobre uma mulher autoritária, da qual o companheiro não via a hora de se livrar. A mulher, no entanto, era a própria ditadura. 

Na época, Chico foi muito questionado sobre quem seria esse você na letra, que as pessoas ligavam instintivamente ao General Emílio Médici, mas o cantor já disse que nunca teve essa intenção: o você não era o Médici, o você era tudo, toda aquela situação que a gente vivia na época.

Apesar de você, amanhã há de ser outro dia

Xibom Bombom — As Meninas

Axé com crítica social? Temos sim! As Meninas, uma banda de axé formada só por mulheres, lançaram Xibom Bombom no fim da década de 90, e a música foi sucesso absoluto. 

Apesar do ritmo animado, a letra fala sobre um problema social gravíssimo e que segue vivo durante toda a história do Brasil (e do mundo): a desigualdade. 

Onde o rico cada vez fica mais rico e o pobre cada vez fica mais pobre 😑

Cidadão — Zé Ramalho

Cidadão também fala sobre a desigualdade, mas vai ainda mais fundo: a letra nos alerta sobre o preconceito social

O personagem da música nos conta sobre os lugares que ele ajudou a construir com as próprias mãos, e nos quais agora sequer pode entrar (e as vezes nem mesmo olhar). 

Diário de Um Detento — Racionais MC’s

Diferente de outros estilos, a crítica social faz parte da essência do rap. Em Diário de Um Detento, os Racionais MC’s narram a história da rebelião que ficou conhecida como o Massacre do Carandiru, quando 111 presos morreram. 

Enquanto isso, a música nos faz entender um pouco sobre o dia a dia dentro da prisão, e sobre as falhas do sistema carcerário brasileiro.

Inútil — Ultraje a Rigor

Mais do que uma crítica ao povo brasileiro, Inútil é uma crítica ao Brasil e à forma como o país funciona. Basicamente, a letra diz que nós produzimos tudo, mas não usufruímos de nada

Inútil é um pouco desesperançosa, já que aos olhos da canção o país parece não ter solução. Afinal, quem poderia mudar a situação somos nós, o povo, e isso não parece possível, já que a gente não sabemos tomar conta da gente. 🤷‍♀

Triste, Louca, ou Má — Francisco, El Hombre

Triste, Louca, ou Má é uma crítica aos estereótipos criados sobre o papel que a mulher cumpre na sociedade e no lar

Como já dizia Simone de Beauvoir, ninguém nasce mulher, torna-se mulher, afinal, existe todo um imaginário construído ao longo dos anos sobre a figura feminina retratada em extremos — submissa ou histérica. 

É exatamente sobre isso que a música fala, e também sobre a necessidade de nos libertarmos desses padrões. 

O Teatro dos Vampiros — Legião Urbana

Todo mundo conhece Que País É Esse? como uma das músicas famosas com críticas sociais mais explícitas da história, mas ela não é a única canção do Legião Urbana que chama atenção para os problemas nacionais

O Teatro dos Vampiros fala sobre o desemprego, a violência, e vários outros problemas que tiram o sono de muita gente.

Os assassinos estão livres, nós não estamos

A Rezadeira — Projota

A Rezadeira fala sobre a realidade das crianças nas periferias, crescendo em meio a um ambiente com muitas necessidades e poucas oportunidades. A Rezadeira é a mãe, que intercede para que o filho cresça são e salvo. 

Deixa o menino jogar, que é sexta-feira. Pra proteger é que existe a rezadeira

A Carne — Farofa Carioca

Famosa na voz da rainha Elza Soares, A Carne foi lançada pelo grupo Farofa Carioca no fim da década de 90. Como fica bem claro, a música fala sobre o racismo

Ela ressalta o modo como os negros são explorados e escravizados desde o começo da história que nós conhecemos sobre o Brasil. 

A carne mais barata do mercado é a carne negra, que fez e faz história pra caralho segurando esse país no braço, meu irmão.

Maria da Vila Matilde — Elza Soares

Já que falamos em Elza Soares, não poderíamos deixar de citar Maria da Vila Matilde

A música fala sobre a violência doméstica, mais um dos problemas sociais gravíssimos que fazem parte da nossa sociedade e permanecem sem solução.

Música e política, um caso de amor e ódio

Deu pra perceber que música e política sempre andaram de mãos dadas, né? Uma sempre criticando a outra, apontando defeitos, mas continuam inseparáveis — um verdadeiro caso de amor e ódio. 

Pra conferir essa união não tão amigável, mas incrível de ouvir, vem dar uma olhada na nossa playlist música e política nacional!

Música e política nacional

Curte músicas com críticas sociais? Confira o significado dessas: 

Receba os melhores posts do blog em seu e-mail

Assine a newsletter gratuitamente

Por favor, insira um e-mail válido.

Obrigado por assinar a nossa newsletter! 😊

Ops, rolou um erro na inscrição. Tente novamente mais tarde.