LETRAS.MUS.BR - Letras de músicas

Listas musicais

Toca Raul: as 10 melhores músicas do Maluco Beleza

Por Dora Guerra

22 de Setembro de 2019, às 20:00


Raul Seixas fez história como um dos maiores nomes da música brasileira nas décadas de 70 e 80. O estilo de vida do maluco beleza era meio intelectual, meio doidão: talvez, por isso, Raul era inigualável. 

Cantor Raul Seixas
Créditos: Divulgação

Não é à toa que nossa homenagem de hoje vai ao chamado Pai do Rock Brasileiro! Cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista, Raul deixou músicas icônicas como legado. E não foi só rock, não: ele misturava vários gêneros em suas composições.

Por isso, selecionamos nossas 10 canções preferidas do artista e vamos contar as histórias por trás de cada uma. Vem ouvir e saber mais sobre as músicas:

  • Maluco Beleza
  • Metamorfose Ambulante
  • Tente Outra Vez
  • Gita
  • Ouro de Tolo
  • Cowboy Fora da Lei
  • Meu Amigo Pedro
  • Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás
  • Sociedade Alternativa
  • Carimbador Maluco

Raul Seixas: as 10 melhores

Filosófico como era, Raul tem músicas cheias de viagens e metáforas. Se você tiver outra interpretação de alguma letra, conta pra gente nos comentários!

1. Maluco Beleza

Sabia que Maluco Beleza é a música de Raul Seixas que mais tocou no país nos últimos anos? 

Nela, o compositor desabafa sobre seu estilo de vida, meio maluco, meio lúcido. Como ele mesmo diz, é o caminho que escolheu seguir

No clipe, Raul anda pela rua vestido de imperador romano, bem malucão:

2. Metamorfose Ambulante

Uma das maiores canções de Raul, Metamorfose Ambulante tem muuuito a ver com o grande músico. Com uma letra cheia de contradições, o cantor admite: 

Eu prefiro ser 
Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião 
Formada sobre tudo

É uma bela frase, né? Ela demonstra bem a personalidade de Raul: desapegado, curioso e aberto a novas ideias. A música é tão cheia de significados que fizemos um post só sobre ela — vem conferir nossa análise de Metamorfose Ambulante!

3. Tente Outra Vez

Lançada no álbum Novo Aeon em 1975, Tente Outra Vez é um clássico do Raul. É uma balada rock bem típica no estilo de seu compositor, com um arranjo épico.

Essa não tem mistério. A mensagem é clara: se não der certo, tente outra vez. Raul Seixas também pode ser motivacional, beleza?

4. Gita

Lançada em 1974, a música Gita é inspirada no Bhagavad-Gitã, parte do Mahabarata, que seria a “bíblia” da religião hindu de Krishna. 

No texto, um guerreiro interroga o que Krishna significa. A deusa responde com metáforas como o céu, os animais e outras comparações, o que tem muito a ver com os versos:

Eu sou a luz das estrelas
Eu sou a cor do luar
Eu sou as coisas da vida
Eu sou o medo de amar

5. Ouro de Tolo

Na carreira de Raul, muitas das músicas são a cara dele. Mas existe algo de especial em Ouro de Tolo, talvez por ter sido uma das canções que mostrou o artista para o público. Nela, Raul é crítico, irreverente, cômico e, como sempre, maluco.

Fã de contradições, o artista investe em mais uma. Se musicalmente a canção é doce e suave, em termos de letra, o compositor é agressivo. Afinal, a música foi composta em plena época de ditadura: difícil escrever versos tranquilos em tempos tão tensos, né?

6. Cowboy Fora da Lei

A música Cowboy Fora da Lei é um country-rock, que tem muito a ver com o próprio nome da canção. A faixa conta com um banjo e um violão de aço e a letra inclui comentários sobre política. 

Foi inicialmente pensada em 1973 e ficou em um dos cadernos do músico até 1984, quando Raul chamou um dos membros de seu fã-clube para reaproveitar o refrão e compor uma faixa completa. Mas não deu muito certo: Raul apareceu bêbado no estúdio e a gravação não foi feita. Assim, a versão como conhecemos só foi lançada em 1986!

7. Meu Amigo Pedro

Há muitas teorias sobre a letra de Meu Amigo Pedro: alguns acham que a música foi composta para Paulo Coelho, grande amigo de Raul; outros dizem que Pedro é uma das personalidades do próprio cantor. Na música e na arte, toda interpretação é válida!

Nessa canção de Raul, o amigo é “careta”, cheio de defeitos e qualidades, menos louco que o artista. Ainda assim, a música é uma declaração de carinho e amizade.

Pedro, onde cê vai eu também vou.

8. Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás

A faixa Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás é meio rockabilly, justamente porque foi inspirada e adaptada da música I Was Born About Ten Thousand Years Ago, do Elvis. 

É claro que algumas mudanças foram feitas para fazer a música ficar mais a cara do Raul. Enquanto a original falava só da filosofia cristã, a versão do maluco beleza faz referência à astrologia, a outras religiões e a acontecimentos históricos diversos. Dá uma olhada:

9. Sociedade Alternativa

Viva, viva, viva a Sociedade Alternativa!

Raul e seu amigo (e grande escritor) Paulo Coelho, fundaram a chamada Sociedade Alternativa na década de 70. Baseando-se na Thelema, filosofia do ocultista britânico Aleister Crowley, os dois divulgavam suas crenças com empenho. 

A Sociedade Alternativa era, basicamente, uma utopia de irmandade, pensada para enfrentar o duro cenário da ditadura militar. Nela, acreditavam na frase de Crowley: “Faze o que tu queres, há de ser tudo da lei”. 

E é claro que Raul canta essa frase na música Sociedade Alternativa:

10. Carimbador Maluco

Também conhecida como Plunct Plact Zum, a canção Carimbador Maluco teve uma recepção controversa. Muitos fãs reclamaram por não reconhecerem um Raul contestador e crítico que falava o que pensava em suas letras. Carimbador parecia infantil, superficial.

Acontece que não era o caso! Raul fez o possível pra driblar a censura da época, usando trechos de um texto de Pierre Joseph Proudhon (precursor do anarquismo moderno).

O texto original afirmava que ser governado era ser dirigido, inspecionado, registrado, extorquido, dentre tantos outros verbos. Te lembra alguma coisa?

Tem que ser selado, registrado, carimbado
Avaliado, rotulado se quiser voar!

Uma breve biografia de Raul Seixas

Nascido em 28 de junho de 1945 em Salvador, Raul sempre teve uma personalidade excêntrica. Odiava convenções, amava livros, mas ia super mal na escola. Sempre artista, né?

Já adolescente, o cantor fundou o Clube do Cigarro, onde se vestia de roqueiro e tocava violão com seus amigos. Curtia Pink Floyd, Elvis e tudo que podia saber sobre rock. Uma curiosidade é que, apesar de adorar o gênero e o seu “estilo de ser”, Raul queria mesmo ser escritor, como Jorge Amado!

Mas a vida o formou músico, compositor e meio filósofo. Raul teve seu auge nos anos 1970, depois de participar de festivais e começar a ser reconhecido de fato pela mídia. 

Foi parceiro musical e amigo de longa data de Paulo Coelho, além de ter colaborado com vários grandes nomes da música brasileira ao longo de sua carreira. Ao longo da vida, Raul brincou com a mistura do rock com vários gêneros, casou-se algumas vezes e até fundou sociedades alternativas!

O icônico Raul Seixas faleceu em 1989, vítima de consequências do seu alcoolismo. Mas seu legado é eterno: como esquecer do Maluco Beleza?

Toca mais Raul!

E aí, curtiu a nossa lista? Para apreciar toda a obra de Raul não basta só ouvir 10 músicas: tem que ouvir váaarias. Por isso, aproveita pra dar o play nas músicas mais acessadas do cantor, ler as letras e sentir toda a vibe filosófica que Raul Seixas tinha. Até mais!

Você também pode gostar desses posts: