LETRAS.MUS.BR - Letras de músicas

Analisando letras

Hotel California: teorias, mitos e o real significado

Por Lorena Camilo

19 de Setembro de 2019, às 07:00


Quando paramos para elencar os clássicos do rock dos anos 70, com certeza temos que incluir Hotel California, da banda Eagles.

E não é para menos: a canção aparece na lista 500 músicas que moldaram o Rock do Rock and Roll Hall of Fame e está na 49º posição da lista 500 Melhores Músicas de Todos os Tempos da revista Rolling Stone. Além disso, o álbum que leva o mesmo título da canção é um dos 15 mais vendidos da história do rock

Capa do álbum Hotel California
Capa do álbum Hotel California / Créditos: Divulgação

Achou pouco? Além desses prêmios todos, desde 1976 essa música faz o maior sucesso! Essa repercussão pode ter várias razões: o famoso solo de guitarra, o fato de fazer inúmeros casais dançarem com os rostos coladinhos ou, pasmem, pelas chamadas beeeeem sensacionalistas na época de seu lançamento:

“Eagles lança música com referências satânicas”, ou “Local citado na música da banda Eagles é um hospital psiquiátrico para dependentes químicos”.

Mas se você nunca soube da existência dessas teorias sobre Hotel California, o que a letra da música diz e seu verdadeiro significado, vem cá que a gente te conta tudo! 😉

O significado de Hotel California: mitos e a verdade

Bateu a curiosidade pra saber sobre os mitos e o significado de Hotel California? Já te adianto de uma vez a opinião de Don Felder, Gleen Frey e Don Henley, os compositores da canção: eles afirmam de pé junto que não tem nada de satânico e real nessas teorias!

Os membros do Eagles dizem que, se analisarmos de forma bem racional, dá para sacar que a letra da música nada mais é do que uma crítica aos excessos e às tentações, além de falar sobre o alto custo do estilo de vida de uma banda no auge do sucesso.

Só que não é tão simples assim, ainda mais se tratando de rock, né? Até porque todo mundo gosta de especular, falar e saber sobre as polêmicas. Então, bora lá saber que teorias são essas?

As teorias e mitos por trás da letra de Hotel California

Dizem as más línguas que a composição é uma adoração ao diabo, além de fazer referência às drogas, à luxúria e ao ano de 1969, lançamento da Bíblia Satânica de Anton LaVey, fundador da igreja de Satã. Alguns trechos da própria música são usados por essas pessoas para “comprovar” essas teorias:

  • This could be heaven or this could be hell (Aqui pode ser o céu ou pode ser o inferno);
  • They stab it with their steely knives, but they just can’t kill the beast (Eles esfaqueiam com suas facas de aço, mas eles simplesmente não podem matar a besta);
  • We haven’t had that spirit here since nineteen sixty-nine and still those voices are calling from far away (Nós não temos essa bebida aqui desde mil novecentos e sessenta e nove e ainda assim aquelas vozes estão chamando à distância).

Outra teoria é de que o tal hotel da música é, de acordo com a foto da capa do álbum, uma clínica de tratamento psiquiátrico para dependentes químicos, chamada Camarillo State Mental Hospital, que fica em Los Angeles.

Camarillo State Mental Hospital
Camarillo State Mental Hospital / Créditos: Divulgação

E de novo usam um trecho da canção para exemplificar, dessa vez é o: I heard the Mission bell (Eu ouvi o sino da Missão). Então, contam que esse tal hospital foi construído para ser um monastério, e que há uma torre com um sino que tocaria para as práticas religiosas. 

A capa interna do álbum também gerou polêmica. Há várias pessoas na imagem, mas o pessoal foi reparar onde? No segundo andar do prédio! Daí já viu, né? Disseram que há personagens ocultos, almas torturadas e mortas pela seita satanista. A banda ri dessa teoria e diz que são apenas pessoas contratadas para a foto de divulgação.

Capa interna do álbum Hotel California
Capa interna do álbum Hotel California / Créditos: Divulgação

O verdadeiro significado de Hotel California

Depois de tanta repercussão por causa da música, é claro que alguém iria direto à fonte para saber o que a letra significa, né?

No documentário History of The Eagles, de 2013, Don Henley, baterista da banda e vocalista dessa música, diz que as menções à igreja de Satã e imagens ocultas na capa são bobagens, e que não existe nenhuma mensagem subliminar. A música representa apenas a experiência de uma jornada hedonista de uma típica banda de rock nos anos 70. 

O termo hedonismo, citado por Henley, faz referência à uma vida baseada no prazer, em excessos, materialista. O músico afirma que a letra reflete a indústria da música no sul da Califórnia, o lado sombrio do sonho americano e sobre o excesso da América.

Já Glenn Frey vai no sentido oposto e diz que existe sim um lado obscuro na composição, mas que não precisa e nem deve ser explicado. Por fim, afirma que a letra representa o universo de excessos da cena do rock na Califórnia

Agora que você já sabe sobre os mitos, as teorias e o que os compositores dizem, confira a nossa análise! 👇

Análise da letra de Hotel California

Antes de começar a nossa análise, dá play e escute a música. Não tem como não se arrepiar com os solos da guitarra:

Agora bora analisar cada estrofe 😄

On a dark desert highway (Numa estrada escura e deserta)
Cool wind in my hair
(Vento fresco em meu cabelo)
Warm smell of colitas
(Cheiro morno de baseado)
Rising up through the air (Subindo no ar)
Up ahead in the distance
(Logo à frente)
I saw a shimmering light 
(Eu vi uma luz trêmula)
My head grew heavy and my sight grew dim
(Minha cabeça ficou pesada e minha visão embaçou)
I had to stop for the night (Eu tive que parar para passar a noite)

Aqui é o começo de tudo, e é bem cena de filme de terror, né? Pessoa na estrada, música ao fundo, até que algo acontece e é preciso bater na porta de um lugar desconhecido para passar a noite.

There she stood in the doorway (Lá estava ela, na entrada da porta)
I heard the Mission bell (Eu ouvi o sino da Missão)
And I was thinking to myself (E eu estava pensando comigo mesmo)
This could be heaven or this could be hell (Aqui pode ser o céu ou pode ser o inferno)
Then she lit up a candle and she showed me the way (Então, ela acendeu uma vela e me mostrou o caminho)
There were voices down the corridor (Havia vozes pelo corredor)
I thought I heard them say (Eu pensei tê-las ouvido dizerem)

Há uma palavra na primeira frase da música que é o que desencadeia as várias interpretações da letra. Esse ela de There she stood in the doorway (Lá estava ela, na entrada da porta), é usado para representar, levando em consideração a fala dos músicos, a jornada cheia de excessos da indústria. 

A seguir vem o icônico refrão da música…

Welcome to the Hotel California (Bem-vindo ao Hotel Califórnia)
Such a lovely place (Que lugar encantador)
Such a lovely face (Que rosto encantador)
Plenty of room at the Hotel California (Vários quartos no Hotel Califórnia)
Any time of year (Qualquer época do ano)
You can find it here (Você pode encontrá-lo aqui)

O local é encantador, deslumbrante, paradisíaco e todos os adjetivos possíveis para um lugar de onde ninguém desejaria sair. Mas nada mais é que uma metáfora para a indústria musical e seus excessos.

Há alguns artistas que deixam o sucesso e tudo que vem com a fama subir à cabeça e dominar suas vidas, enquanto outros escrevem músicas que refletem os bastidores desse universo que pode não ser tão perfeito assim.

Her mind is Tiffany-twisted (Sua mente é obcecada por joias da Tiffany)
She got the Mercedes bends (Se perde do mundo com sua Mercedes Benz)
She got a lot of pretty, pretty boys (Ela tem vários belos, belos rapazes)
That she calls friends (Que ela chama de amigos)
How they dance in the courtyard (Como eles dançam no pátio)
Sweet summer sweat (Doce suor de verão)
Some dance to remember (Alguns dançam para lembrar)
Some dance to forget (Alguns dançam para esquecer)

Como os membros do Eagles disseram, fica muito evidente se pensarmos na letra como se esse ela fosse a indústria e tudo o que vem junto à ela: joias, carros, amigos (e também os “falsos amigos”), festas, mulheres, bebidas, o sucesso, os bons momentos… Mas também os momentos vazios de sentido e de sentimento. 

So I called up the captain (Então eu chamei o capitão)
Please, bring me my wine (Por favor, me traga meu vinho)
He said (Ele disse)
We haven’t had that spirit here since (Nós não temos essa bebida aqui desde)
Nineteen sixty-nine (Mil novecentos e sessenta e nove)
And still those voices are calling from far away (E ainda assim aquelas vozes estão chamando à distância)
Wake you up in the middle of the night (Te acordam no meio da noite)
Just to hear them say (Só para ouvi-las dizerem)

Essa estrofe gira em torno de uma metáfora com a palavra spirit quando é pedido um vinho para o capitão. Isso porque spirit pode se referir à bebida destilada, ou, como os compositores afirmam, à chegada da música disco e pop, que afastou o ativismo social que foi tão presente nos anos 1960. 

Ou seja, quer dizer que todos estavam perdendo os ideais de 1969, ano do festival Woodstock. E o que resta? As vozes da indústria musical que ficam sussurrado, tentando ser convincentes.

Aqui há a repetição do refrão…

Mirrors on the ceiling (Espelhos no teto)
The pink champagne on ice (Champanhe rosé no gelo)
And she said (E ela disse)
We are all just prisoners here (Nós todos somos apenas prisioneiros aqui)
Of our own device (Por nossa própria conta)

Mais referências à luxúria… Até que ela, a metáfora da jornada hedonista, diz que todos se tornam prisioneiros após entrarem no Hotel California. Ou seja, se tornam reféns da fama, do sucesso, e, muitas vezes, das próprias escolhas. 

And in the master’s chambers (E nos aposentos do mestre)
They gathered for the feast (Eles se reuniram para o banquete)
They stab it with their steely knives (Eles esfaqueiam com suas facas de aço)
But they just can’t kill the beast (Mas eles simplesmente não podem matar a besta)

Nessa estrofe todas as pessoas que estão no Hotel são convidadas para um “certo encontro” com o mestre. E essa tal besta que tentam esfaquear com todas as forças seria o ego, a rivalidade que a indústria cria entre as bandas, os pontos negativos que vêm junto com o sucesso. 

Last thing I remember (A última coisa que me lembro)
I was running for the door (Eu estava correndo para a porta)
I had to find the passage back (Eu tinha que encontrar a passagem de volta)
To the place I was before (Para o lugar onde eu estava antes)
Relax, said the night man (Relaxe, disse o guarda)
We are programmed to receive (Nós somos programados para acolher)
You can check out any time you like (Você até pode registrar a saída quando quiser)
But you can never leave! (Mas você nunca poderá partir!)

Tá tudo bem querer desistir de tudo depois de começar a fazer sucesso? Talvez não seja assim tão fácil… Nesse verso, o “guarda” pode ser interpretado como os contratos, a indústria ou até mesmo os fãs.

Quer dizer que, mesmo se o músico ou a banda desistir de produzir, vão continuar pedindo que ele volte, que faça só mais um showzinho… Ou seja, ele pode até tentar sair da indústria, mas se for rentável ou muito querido, permanecerá.

Continue ouvindo…

Curte Eagles? Essa banda tem muitos solos de guitarra bem marcantes, sem contar as outras letras. Então não deixe de conferir as músicas mais acessadas da banda!

The Eagles
Créditos: Divulgação

Aproveita e nos conte aqui nos comentários se sabia das teorias satânicas e o que achou da análise! 😉👇

Se gosta de entender a história das músicas, você também vai gostar desses posts: