LETRAS.MUS.BR - Letras de músicas

Analisando letras

Conheça a história da música Travessia, de Milton Nascimento

Por Érika Freire

22 de Março de 2020, às 19:00


Ele renovou a música popular brasileira, fundou ao lado de amigos o movimento musical Clube da Esquina e hoje o seu talento é admirado e reconhecido no mundo todo. 

Falar de Milton Nascimento é mergulhar na história da música brasileira da década de 70, período em que o compositor, cantor e instrumentista começou a se destacar.

Milton Nascimento nos anos 70
Créditos: Divulgação

Um dos momentos decisivos na carreira de Milton Nascimento foi quando o cantor, ao lado do compositor Fernando Brant, escreveu a canção Travessia, em 1967. A música, de letra profunda e poética, fala sobre o sofrimento diante do amor e sobre a angústia dos dias vazios diante de alguém que foi embora

O nome da canção foi inspirada na obra Grande Sertão: Veredas, do escritor mineiro João Guimarães Rosa. A composição colocou Minas Gerais no cenário musical da época e foi um divisor de águas na história da música popular brasileira. 

Vamos conhecer um pouco mais sobre a história de Travessia e fazer uma análise da música? Vem com a gente mergulhar na mineirice de Milton Nascimento. 

História da música Travessia

O sucesso Travessia se originou através da parceria entre Milton Nascimento e Fernando Brant. Na época, a originalidade da canção impressionou público e críticos. Tanto que o cantor Lô Borges chegou a comentar que Travessia mudou a carreira de Milton Nascimento e também toda a música nacional.

Milton Nascimento e Fernando Brant
Fernando Brant e Milton Nascimento / Créditos: Divulgação

Os ouvidos brasileiros ainda não tinham escutado nada semelhante, a música era diferente das canções produzidas na década de 70. O amigo de Milton, Agostinho dos Santos, provavelmente percebeu isso e inscreveu Travessia no II Festival Internacional da Canção, realizado pela TV Globo, em 1967. Um detalhe curioso é que os autores não sabiam. 

O evento, realizado no Maracanãzinho lotado, no Rio de Janeiro, trouxe para Milton e Fernando o segundo lugar, e a canção foi apresentada na televisão, emocionando cerca de 25 mil espectadores que cantaram junto com o maestro Erlon Chaves, que fez a abertura. 

A família e os amigos de Bituca e Fernando se juntaram para organizar a ida ao Rio de Janeiro. Eles queriam ver de perto a canção Travessia ser apresentada. 

Milton e Fernando apresentando Travessia
Milton e Fernando apresentando Travessia no Festival da Canção/ Créditos: Divulgação

Mas o que resultou nesta grande conquista para Milton Nascimento tem início um pouquinho antes, com a criação do chamado Clube da Esquina. Apesar de ser mineiro de coração, por ter ido viver no estado quando ainda era menino, Milton Nascimento nasceu no Rio de Janeiro, em 1942.

Entre indas e vindas do Rio a BH, sempre que chegava na capital mineira Milton ia se reunir com seus amigos músicos. Chegava na casa de Lô Borges e perguntava: cadê o Lô? E a mãe do músico respondia que ele estava lá na esquina tocando violão. 

Lô Borges começava a compor a melodia de uma canção que eles acabaram chamando de Clube da Esquina, com a ideia de fazer uma homenagem àquela esquina tão importante para eles.

Milton Nascimento e Lô Borges
Milton Nascimento e Lô Borges / Créditos: Divulgação

A criação da música Travessia foi da mesma forma. Milton pegou o violão, foi criando os primeiros acordes, dando os tons certos à melodia e a canção foi nascendo. A música se tornou parte do primeiro trabalho de Milton, que ganhou o mesmo nome e foi lançado em 1967

Em 2017, Travessia completou 50 anos e, mesmo depois de tanto tempo, a canção segue viva e apresenta toda a faceta criativa e talentosa de Milton Nascimento. A partir da parceria de Bituca (apelido carinhoso de Milton Nascimento na época do Clube da Esquina) e Fernando para criar Travessia, surgiram aproximadamente 150 outras músicas. 

Certamente, eles jamais imaginaram que a música seria apontada pela crítica como um divisor de águas não apenas na música mineira, mas também em toda a MPB. Até a imprensa ficou em dúvida sobre o que a letra de Travessia queria dizer. 

Mas, para os compositores, tudo era claro e a letra expressava o óbvio. A partir daquele momento, a carreira de Milton começou a ser valorizada e toda a turma de amigos que compunha e fazia música com ele também passaram a ser observados. Era o Clube da Esquina ganhando vida! 

O Clube da Esquina 

Milton Nascimento foi um dos fundadores, ao lado dos amigos Lô e Márcio Borges, Ronaldo Bastos, Fernando Brant, Tavinho Moura, Beto Guedes, Flávio Venturini e Toninho Horta, do movimento musical Clube da Esquina.

Clube da Esquina
Clube da Esquina com Juscelino Kubitschek / Créditos: Divulgação

O objetivo do grupo era tornar a música e as composições mineiras conhecidas em todo o país. Os músicos se reuniam, criavam e tocavam com influências dos jazz.

Desta iniciativa, foram lançados dois álbuns em conjunto que levaram a música mineira para outro patamar, por conta da forma inovadora que os músicos faziam seus repertórios, estilo e arranjos. 

Era uma mistura de canções antigas com o som dos Beatles, mais uma entre as influências do Clube da Esquina. As músicas de maior destaque de Milton vieram dessa reunião, como por exemplo Saídas e Bandeiras Nº 2, Nada Será Como Antes, Paisagem da Janela, entre outras. 

Análise da música Travessia 

Quando você foi embora, fez-se noite em meu viver
Forte eu sou, mas não tem jeito
Hoje eu tenho que chorar
Minha casa não é minha, e nem é meu este lugar
Estou só e não resisto, muito tenho pra falar

A letra poética fala sobre o sofrimento por alguém que partiu e sobre como é preciso aprender a lidar com essa angústia. Se permitir chorar e ficar triste, mas com a consciência de que é preciso seguir e resistir mesmo quando o cenário ao redor tenta nos calar. 

Solto a voz nas estradas, já não quero parar
Meu caminho é de pedra, como posso sonhar
Sonho feito de brisa, vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto, vou querer me matar

Travessia foi composta durante o período da Ditadura Militar, por isso observamos na composição menções e críticas quase que imperceptíveis em trechos como estou só e não resisto, eu não quero mais a morte e meu caminho é de pedra.

Vou seguindo pela vida me esquecendo de você
Eu não quero mais a morte, tenho muito o que viver
Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer
Já não sonho, hoje faço com meu braço o meu viver

O nome da canção, Travessia, pode ter um significado também simbólico por conta da história e da persistência dos compositores ao finalmente conseguir fazer Minas Gerais ser notada em todo o seu talento e riqueza cultural. 

Na época, quem liderava o mercado musical eram músicos e artistas do Rio de Janeiro. 

Solto a voz nas estradas, já não quero parar
Meu caminho é de pedra, como posso sonhar
Sonho feito de brisa, vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto, vou querer me matar

Apesar das construções poéticas e das frases delicadas, a letra de Travessia aborda temas difíceis para o ser humano, como a dor, a morte e a dificuldade de caminhar diante dos problemas da vida. Há tantos sonhos permeados por um desejo de partir para outra vida. 

Vou seguindo pela vida me esquecendo de você
Eu não quero mais a morte, tenho muito o que viver
Vou querer amar de novo e se não der não vou sofrer
Já não sonho, hoje faço com meu braço o meu viver

Aprofunde o seu conhecimento sobre MPB

O que será que mudou na MPB até os dias de hoje? Novos artistas surgiram e seus gêneros musicas são apontados como uma nova versão da música popular brasileira. Entenda melhor a relação entre a velha e a nova MPB.

A velha e a nova MPB