Analisando letras

A história da música Billie Jean, sucesso de Michael Jackson

Por Mateus Pereira Silveira

2 de Julho de 2020, às 12:00


Não há dúvidas que Thriller foi o auge da carreira de Michael Jackson. Lançado em 1983, o álbum exaltou a genialidade do cantor para o mundo, revolucionando o mundo pop, e se tornou um fenômeno de vendas. 

Capa do álbum Thriller, de Michael Jackson
Capa do álbum Thriller / Créditos: Divulgação

Embora a faixa-título seja a mais lembrada por causa do figurino, da maquiagem e da coreografia do clipe, outras músicas tornam o disco incrível.

Um exemplo é Billie Jean, que chegou ao topo das paradas e foi a escolhida para performar o lendário passo Moonwalk, que ficou marcado na biografia de Michael Jackson. 

Escrita pelo próprio Michael, ela foi inspirada por uma relação obsessiva de uma fã com o cantor e só entrou como faixa do álbum graças a insistência do artista. A história de Billie Jean é cheia de fatos interessantes e a gente conta tudo para você nesse post! 

A história da música Billie Jean 

Assim como outras músicas com nomes de mulher, Billie Jean também teve uma musa inspiradora.

No início dos anos 80, Michael Jackson era uma figura em evidência. Indo para o seu segundo álbum solo após o desligamento com os Jackson 5, grupo que o projetou para a fama, ele chamava a atenção dos holofotes da imprensa e do público. 

Assim como acontecia com os astros e bandas de rock, as fãs, também chamadas de groupies, tentavam se aproximar dele para fazer declarações platônicas de amor. 

E Michael viveu uma experiência sinistra com uma delas. Em 1981, o cantor começou a receber cartas de uma jovem que dizia ser a mãe de seu filho.

Junto com as mensagens, a moça, que teve a identidade preservada, enviava fotos da criança, apontando semelhanças físicas, como “ele tem os seus olhos”. Creep, não é mesmo? 

Afirmando estar apaixonada por MJ, os contatos da mulher se tornavam mais intensos e ela chegou a fazer ameaças contra a própria vida caso não fosse correspondida.

Essas declarações deixavam Michael assustado e ele passou a ter pesadelos constantes com a situação. 

A obsessão da desconhecida era tão grande que o cantor começou a criar paranoias e a ficar cada vez mais preocupado. Afinal, o que ele faria se ela batesse na porta de sua casa? E se ela se ferisse ou causasse mal a alguém? 

Felizmente, nada mais grave aconteceu. Meses mais tarde, Jackson descobriu que a jovem havia sido internada em uma clínica psiquiátrica e que aquele seria mais um episódio curioso em sua vida. 

Bem, a gente sabe o que os músicos fazem com histórias inusitadas né? Transformam elas em hits de sucesso! Mas Billie Jean quase ficou de fora do maior álbum de Michael. 

O produtor Quincy Jones não achava a canção forte o bastante para o trabalho e temia que o nome fictício escolhido para a moça fosse associado à tenista Billie Jean King. 

O cantor bateu o pé para defender o potencial da música e conseguiu. Billie Jean arrasou desde sua estreia, foi a trilha sonora perfeita para a icônica apresentação do Moonwalk ao mundo e ainda levou dois prêmios Grammy. 

Um verdadeiro clássico que continua nas playlists até hoje!

Análise da letra de Billie Jean 

A letra de Billie Jean é cheia de referências indiretas a vivência de Michael com a fã stalker: 

She was more like a beauty queen from a movie scene (Ela parecia mais uma rainha da beleza de uma cena de filme) 
I said don’t mind, but what do you mean: I am the one (Eu disse, não importa, mas o que você quer dizer com: eu sou o cara)
Who will dance on the floor in the round (Que vai dançar com você na pista de dança?)
She said I am the one who will dance on the floor in the round (Ela disse que eu sou o cara com quem ela vai dançar na pista de dança)

Pelo ponto de vista do cantor, Billie Jean trata de uma relação entre um cara popular e uma bela garota desconhecida. Os beats iniciais da música evocam uma perseguição ou conflito, que logo ficarão mais claros. 

A música é praticamente uma realidade paralela, onde ele se relaciona brevemente com a moça. Michael a descreve como uma mulher bonita, que faria sucesso nas telas ou em Hollywood, e que se encanta pelo boy numa boate. 

Decidida a conquistá-lo, ela usa suas armas de sedução e a autoestima do homem a seu favor, já que eleva o seu ego ao chamado de O Cara.

Isso também pode significar que ele é importante, algum tipo de artista que conquista todos ao seu redor. 

She told me her name was Billie Jean (Ela me disse que seu nome era Billie Jean) 
As she caused a scene (Enquanto causava uma cena)
Then every head turned with eyes that dreamed (Então todas as cabeças viraram com os olhares que sonhavam)
Of being the one (Em ser o cara) 
Who will dance on the floor in the round (Que vai dançar com ela na pista) 

O ideal do casal perfeito dos filmes volta a cena. Ela, Billie Jean, é a rainha da beleza que atrai todos os olhares por onde passa. E ele é o astro invejado por todos os homens que querem conquistar a mulher mais linda do local. 

A exposição dos estereótipos alimenta outro tema dentro da música: a busca por se relacionar com uma pessoa famosa ou midiática.

People always told me: Be careful of what you do (Todos sempre me falavam, cuidado com o que você faz) 
And don’t go around breaking young girl’s hearts (E não saia por aí quebrando os corações das meninas) 
My mother always told me: Be careful of who you love (Minha mãe sempre me dizia, cuidado com quem você ama) 
And be careful of what you do, ‘cause the lie becomes the truth (E cuidado com o que você faz, porque a mentira se torna verdade 

Algo bem normal que é visto tanto na ficção quanto na vida real é o cuidado seletivo, que gera frases bem clichês: olha, você tão bonito, não vá machucar os sentimentos da outra pessoa, o que presume opostos em uma relação: enquanto o homem é experiente e galanteador, a mulher mais nova é inocente e de bom coração. 

Nessa suposta relação, a mãe entra como a advogada do filho, pedindo para ele fique atento com quem se apaixona, pois pode se meter em problemas complicados. 

Ao mesmo tempo que é um contraponto ao conselho dos amigos, o trecho se refere ao fato vivido por Michael. Sabe aquela história de que uma mentira dita mil vezes se torna realidade?

Na ocasião, as cartas enviadas pela fã misteriosa repetiam tanto que ele era pai de seu filho que o cantor se viu confuso, propenso a acreditar na história. 

The Billie Jean is not my lover (Billie Jean não é minha amante) 
She’s just a girl who claims that I am the one (É só uma garota que diz que sou o cara) 
But the kid is not my son (Mas o garoto não é o meu filho) 
She says I am the one, but the kid is not my son (Ela diz que eu sou o cara, mas o garoto não é meu filho) 

Chegamos ao coro, parte viciante que gruda na cabeça de todo mundo. Nele, Michael esclarece que não teve nenhuma relação com a mulher, desmentindo qualquer boato que ela viesse a colocar na imprensa. 

Como já falamos antes, nas mensagens, Billie Jean falava que MJ era o amor de sua vida e que faria loucuras se ele não assumisse a paternidade da criança. 

Mesmo com muitas polêmicas o cercando, Michael nunca escondeu a vontade que tinha de ser pai, portanto, não faria sentido ele omitir um filho que fosse seu. Logo, a história da jovem não passava de uma invenção. 

For forty days and forty nights (Por 40 dias e 40 noites) 
The law was on her side (A lei estava ao seu favor) 
But who can stand when she’s in demand (Mas quem aguenta quando ela usa) 
Her schemes and plans (Suas estratégias e planos) 
‘Cause we danced on the floor in the round (Porque nós dançamos na pista de dança)
So take my strong advice (Então pegue meu forte conselho) 
Just remember to always think twice (Sempre lembre de pensar duas vezes) 
(Do think twice, do think twice) (Pense duas vezes, pense duas vezes) 

Se o breve romance entre eles tivesse existido, a situação seria complexa para os dois lados. Pela sua visão, a guarda de um possível filho iria para os tribunais, onde ela venceria graças aos seus apelos e planos. 

Para Michael, a forma como sua fã se comunicava seria capaz de convencer qualquer júri (ou a mídia) de que ela estava falando a verdade e isso o desestabilizava e mexia com o seu psicológico. 

She told: My baby, we danced ‘til three (Ela disse, meu amor, nós dançamos até às 3 da manhã) 
Then she looked at me (Então ela olhou para mim) 
Then showed a photo my baby cried (Mostrou uma foto, meu bebê chorou) 
His eyes were like mine (Seus olhos eram como os meus) 
‘Cause we danced on the floor in the round, baby (Porque nós dançamos na pista de dança, querida) 

Em um dos envelopes recebidos por Michael, havia a foto de uma criança, supostamente filho dele, e na mensagem que a acompanhava, a mãe apontava para a semelhança entre os olhos deles. 

Essa alegação assustou Michael e ele chegou a copiar uma foto da mulher para colocá-la na casa de sua mãe, com o objetivo de a família reconhecê-la caso ela aparecesse na casa de algum deles. 

Isso nunca aconteceu, mas exemplifica o quão perturbado o artista ficou com tais acusações.

Tanto que na música ele encontra formas para ela justificar suas atitudes enérgicas e acusá-lo de falta de responsabilidade para com o filho deles. 

People always told me be careful of what you do (Todos sempre me falavam, cuidado com o que faz) 
And don’t go around breaking young girls’ hearts (E não saia por aí quebrando os corações das meninas) 
But she came and stood right by me (Mas ela veio e ficou ao meu lado) 
Just to smell her sweet perfume (E só de sentir seu doce perfume) 
This happened much too soon (Isso aconteceu muito cedo) 
She called me to her room (Ela me chamou para seu quarto) 

Simulando a sequência da noite mágica, a mulher faz o papel de sedutora e provoca o astro para ir ao quarto dela, em um momento que “aconteceu muito rápido”. Parece que já vimos essa desculpa antes, né? 

Apesar de a música dizer que o cara tem a maior possibilidade de machucar os sentimentos da parceira, é a mulher que toma o controle da situação e brinca com ele, deixando ele como vítima da relação. 

The Billie Jean is not my lover (Billie Jean não é minha amante) 
(Call me, Billie Jean) (Me chame, Billie Jean)
The Billie Jean is not my lover (Billie Jean não é minha amante)
(She is not at the scene) (Ela não está mais em cena)
The Billie Jean is not my lover (Billie Jean não é minha amante)

Ao final, Michael enfatiza que Billie Jean não é e nunca foi seu amor ou amante. Ele diz para Billie chamá-lo, mas lembra que ela já não está mais em cena, ou seja, ela não se corresponde mais com o cantor. 

Billie Jean foi o single que abriu o caminho para as outras músicas brilharem. O videoclipe fez sucesso na MTV e ajudou a aumentar a visibilidade dos artistas negros na emissora.

Não é à toa que é uma das principais músicas do álbum mais vendido da história!

Michael Jackson para sempre 

O cantor transformou a cultura pop e deixou um legado incrível para outros cantores. Conheça os clássicos de Michael Jackson que marcaram gerações!

As melhores de Michael Jackson

Confira outros posts nostálgicos:

Receba os melhores posts do blog em seu e-mail

Assine a newsletter gratuitamente

Por favor, insira um e-mail válido.

Obrigado por assinar a nossa newsletter! 😊

Ops, rolou um erro na inscrição. Tente novamente mais tarde.