Biografias

Chico Buarque: a biografia de um dos maiores nomes da MPB

Por Camila Fernandes

16 de Setembro de 2020, às 12:00


Filho de um historiador e de uma pianista, ele é ator, cantor, escritor, compositor, dramaturgo e quase arquiteto — Chico Buarque de Hollanda pode ser definido de várias formas e com inúmeros adjetivos.

Mas vamos focar no mais conhecido: ele é um dos maiores nomes da Música Popular Brasileira e contribuiu bastante para o surgimento e o crescimento do estilo

O cantor Chico Buarque quando jovem
Créditos: Divulgação

Chico é autor e intérprete de trilhas sonoras e de vários espetáculos teatrais, nos quais cuidou não só do enredo, mas de toda a parte musical. 

Bora saber um pouco mais sobre a história desse ícone da MPB? É só continuar lendo para conferir a biografia de Chico Buarque!

Chico Buarque: a biografia do cantor

Francisco Buarque de Hollanda nasceu no dia 19 de junho de 1944, no Rio de Janeiro. Ele é o irmão do meio dos sete filhos do casal Maria Amélia Cesário Alvim e Sérgio Buarque de Hollanda. 

Chico Buarque
Créditos: Divulgação

Entre os irmãos de Chico estão as artistas Miucha, Cristina Buarque e Ana de Hollanda, que chegou a ser ministra da cultura em 2011 e 2012. 

Com mãe pianista e pai historiador, a arte e a política correm nas veias dos irmãos Buarque de Hollanda e o talento ultrapassa as gerações

Chico conviveu desde pequeno com a música e a poesia. Por causa das amizades dos pais, ele se acostumou a conviver com artistas e intelectuais como Vinicius de Moraes e Paulo Emílio Vanzolini.

Primeira composição: Canção Dos Olhos

Em 1946, quando Chico tinha dois anos de idade, seu pai assumiu a direção do Museu do Ipiranga e a família se mudou para São Paulo. 

Depois, em 1953, quando ele tinha 9 anos de idade, Sérgio Buarque de Hollanda foi convidado para dar aulas na Universidade de Roma. 

Foram 7 anos vivendo na Itália e foi lá que Chico Buarque fez suas primeiras composições. Logo de cara, quando ele tinha apenas 15 anos de idade, já nasceu a belíssima (e rara) Canção Dos Olhos.

Em 1960, a família Buarque de Hollanda voltou para o Brasil. Nessa época, Chico já era amante da escrita e já havia composto suas primeiras marchinhas de carnaval

Três anos depois, ele chegou a ingressar na faculdade de Arquitetura e cursou durante dois anos, mas abandonou a universidade para se dedicar por completo à carreira musical.

Primeira música gravada: Marcha Para Um Dia de Sol

Chico Buarque gosta de dizer que não é um cantor que compõe, mas sim um compositor que canta. E foi justamente como compositor que ele começou oficialmente a carreira musical. 

No ano de 1964, Chico escreveu Marcha Para Um Dia de Sol, que foi gravada pela cantora Maricene Costa.

Eu quero ver um dia, numa só canção
O pobre e rico andando mão e mão
Que nada falte, que nada sobre
O pão do rico e o pão do pobre

Entretanto, Chico sempre fala em entrevistas que a música que considera como seu verdadeiro marco inicial é Tem Mais Samba, também de 1964.

O começo da fama: vitória no 2º Festival da MPB

Em 1965, Chico Buarque se inscreveu no 1º Festival da Música Popular Brasileira, mas não foi o vencedor. Naquele ano, a vitória foi de Arrastão, composta por Vinicius de Moraes e Edu Lobo e interpretada por Elis Regina.

Felizmente, Chico se inscreveu novamente no ano seguinte, e dessa vez teve a honra de ser o vencedor, entre vários talentos que ajudaram a construir as bases da MPB. 

A música responsável pela conquista foi A Banda, interpretada ao lado de Nara Leão, que até hoje é um dos maiores clássicos do cantor.

Confira a análise da música A Banda, sucesso de Chico Buarque

O ano de 1966 foi bem agitado! Além da participação no festival, Chico lançou seu primeiro álbum, já cheio de sucessos. Foi também nesse ano que ele se casou com a atriz Marieta Severo, com quem teve três filhas.

Retorno para o Rio de Janeiro 

No ano de 1967 Chico Buarque voltou para sua cidade natal, o Rio de Janeiro. Foi lá que ele estreou como ator, no filme Garota de Ipanema, e como dramaturgo, depois de escrever o musical Roda Viva. 

Fachada do teatro em Porto Alegre
Fachada do teatro, em POA, que exibiu o espetáculo Roda Viva, fortemente censurado na época / Créditos: Divulgação

Assim como viria a acontecer com todos os musicais de Chico, as músicas do Roda Viva ganharam fama independente do teatro e se tornaram verdadeiros hits.

Confira análise completa de Roda Viva, música que dá título ao espetáculo

Luta contra a ditadura

Apesar do imenso talento de Chico como escritor, que faz das letras verdadeiras obras de arte, nunca faltaram questionamentos políticos e críticas sociais nas músicas do cantor. 

Portanto, durante a ditadura militar, ninguém esperava que Chico ficasse calado — e ele não ficou. O cantor se uniu a vários outros artistas na luta contra a censura imposta durante o regime militar, e foi autor de diversas canções de protesto. 

Chico Buarque em protesto contra a ditadura militar
Chico Buarque em protesto contra a ditadura militar / Créditos: Divulgação

Outra música de Chico Buarque que chama atenção no quesito crítica social é Construção, que já foi eleita como a melhor música brasileira de todos os tempos pela revista Rolling Stone.  

Cantando Cálice, outra dessas canções com forte crítica social, Chico protagonizou uma cena inesquecível da música brasileira ao lado de Gilberto Gil:

Entenda o significado de Cálice, clássico de Chico Buarque

Em 1969, depois de ser intimado pelo Exército Brasileiro a prestar depoimento, Chico Buarque se auto exilou na Itália, morando por mais de um ano no país que é sua segunda casa

Ao voltar para o Brasil, ele lançou outro hino de luta contra a ditadura: Apesar de Você, a música que (quase) enganou a censura. 

Na época, Chico alegava que o “você” da música era só uma mulher mandona, mas não demorou muito pra todo mundo entender que ele estava falando da ditadura. Por causa da censura, a música só pôde ser oficialmente lançada 8 anos depois

Julinho da Adelaide, um pseudônimo

A história de Chico em luta contra a censura é longa, cheia de altos e baixos. Curiosamente, houve um momento em que o cantor era tão censurado, por já ser conhecido pelos censores do regime, que decidiu criar um pseudônimo

Foi aí que nasceu Julinho da Adelaide, que chegou a lançar três músicas. Dentre elas está o sucesso Jorge Maravilha, cuja letra também está relacionada à ditadura.

Chico Buarque além da música

Não foi só como cantor e compositor que Chico se destacou. Ele fez diversos trabalhos como ator, escreveu e dirigiu peças de sucesso e já ganhou três vezes o Prêmio Jabuti, o mais tradicional prêmio literário do Brasil, pelos livros Estorvo, Budapeste e Leite Derramado.

Em 2019, Chico Buarque ganhou o Prêmio Camões, criado pelos governos do Brasil e de Portugal em 1988. O prêmio é dado a artistas que contribuíram para o enriquecimento do património literário e cultural da língua portuguesa.

Viaje pelas frases de Chico Buarque

A biografia de Chico Buarque é linda, e com certeza deixou você com um “gostinho de quero mais”. Pra viajar mais um pouco pelo mundo do cantor, que tal conferir as 40 melhores frases do Chico Buarque?

Frases Chico Buarque

Receba os melhores posts do blog em seu e-mail

Assine a newsletter gratuitamente

Por favor, insira um e-mail válido.

Obrigado por assinar a nossa newsletter! 😊

Ops, rolou um erro na inscrição. Tente novamente mais tarde.