Biografias

A biografia da cantora Whitney Houston, uma voz inesquecível

Por Mateus Pereira Silveira

2 de Dezembro de 2021, às 12:00


Consagrada como uma das maiores vozes de todos os tempos, Whitney Houston elevou os padrões da música, sendo lembrada como uma cantora que fez história

Whitney Houston
Créditos: Divulgação

Multipremiada, ela foi sucesso de crítica e público, não apenas por sua técnica que beirava à perfeição, mas por transmitir uma emoção pura em todos os seus trabalhos

A cantora, que passou por diversas fases, deixou seu legado, influenciando diversos artistas e imortalizando canções que viraram hinos. 

Para relembrar a trajetória dessa estrela que nos deixou há quase 10 anos, viemos te apresentar a biografia de Whitney Houston. 

Quem foi a cantora Whitney Houston 

Natural de Beverly Hills, Whitney Houston nasceu em 1963, numa família com bastante contato musical. Tanto sua mãe, Cissy Houston, quanto as primas Dee Dee e Dione Warick se destacaram no cenário da soul music e no gospel. 

Com tanto envolvimento desde pequena, é claro que o dom também apareceria em Whitney. Ainda na infância, ela participou do coral da igreja que frequentava, bem como fez pontas de backing vocal nas apresentações de sua mãe em Nova York. 

Whitney Houston
Whitney Houston quando jovem / Créditos: Divulgação

Mesmo com esse papel de coadjuvante, ela já chamava a atenção de produtores e de outros nomes relevantes na época, como Jermaine Jackson e a ilustre Chaka Khan. 

Sendo assim, foi questão de tempo até ela assumir o holofote principal dos palcos, o que aconteceu na metade dos anos 80. 

O mundo começa a conhecer Whitney Houston 

Bastantes associados ao estilo gospel, soul music e R&B, os artistas negros ganhavam mais relevância no final dos anos 70 e início da década de 80, com Tina Turner e sua pegada rock, Diana Ross e a era disco e claro, Michael Jackson despontando no pop. 

Whitney Houston, por sua vez, estava bebendo das inspirações familiares, religiosas e da era dance e traçando pequenos passos em direção a uma mudança em sua carreira.

Capa do álbum Whitney Houston
Capa do álbum Whitney Houston / Créditos: Divulgação

Seu primeiro álbum, Whitney Houston, foi lançado em 1985 de forma até discreta, mas logo se viu que tinha algo especial naquela artista em ascensão

A primeira música que chamou atenção foi You Give Good Love, que começou a fazer barulho nas rádios e levou as vendas do disco a subirem.

Contudo, foi com sucessos como The Greatest Love Of All, Saving All My Love e a atemporal How Will I Know que ela atingiu outro patamar. 

Whitney Houston vira “A Voz”

As três canções ficaram em primeiro lugar nos Estados Unidos e mesmo que tivessem variações entre si, deixavam nítido um talento único que sempre é enfatizado em biografias de Whitney Houston, o que levou ao apelido de The Voice.  

Potente, a voz de Whitney Houston é caracterizada como Mezzo-Soprano. Se destacando por melismas e vibratos, os vocais dela sempre estiveram entre os mais belos e a artista foi listada ao lado de Aretha Franklin e Frank Sinatra como uma das maiores vozes de todos os tempos.  

Recordista e premiada 

Uma vez que ela se tornava uma das principais cantoras da época, os tabus e recordes começaram a ser quebrados. Seu segundo álbum, Whitney, foi o primeiro de uma mulher a estrear no topo da parada de discos da Revista Billboard

Os singles não ficavam para trás: I Wanna Dance With Somebody se tornou um hit instantâneo, pegando o primeiro lugar. Mais que isso: ela emplacou sete músicas consecutivas na posição da Billboard Hot 100!  

O que é a Billboard Hot 100? Saiba mais sobre a parada musical 

A porteira para o sucesso estava aberta e a cantora Whitney Houston passou a ser reconhecida em premiações, faturando Grammys, AMA’s e demais troféus, totalizando mais de 400 ao longo de sua carreira. 

A transição para a atuação e os anos 90 

Alçada ao estrelato, Whitney Houston encontrava novas facetas e oportunidades para brilhar, chegando a cantar o tema das Olimpíadas de 1988, One Moment In Time.

Lançada como single, a canção conquistou o público e se tornou mais um dos momentos memoráveis da biografia da diva. 

E o auge ainda estava para chegar. Em 1992, ela co-estrelou ao lado do ator Kevin Costner o filme O Guarda-Costas, que se tornou um fenômeno quase que imediato, com elogios ao lado atriz de Whitney

A produção contava com várias canções da artista na trilha sonora, como a original I Have Nothing

Mas nada se compara àquela que é a música de maior sucesso de Whitney: I Will Always Love You. Regravação da composição de Dolly Parton, a faixa se tornou icônica pelo pelas variações de tom ao longo da melodia até o ápice do coro final, que todos conhecem. 

Se hoje ela é a canção mais popular de Houston, imagine na época. I Will Always Love You ficou 14 semanas em primeiro lugar nos Estados Unidos e quebrou recordes, se tornando a música de uma artista mulher mais vendida da história

Novas experimentações na carreira de Whitney

Os anos 1990 reservavam outras aparições no cinema para Whitney, que participou do filme Exhale e também deu voz a When You Believe, tema de O Príncipe do Egito, que ela dividiu com Mariah Carey, também reconhecida por sua voz. 

Flertando mais com o R&B, a cantora entrou na vibe do momento, e conseguiu bom desempenho com novos trabalhos, como My Love Is Your Love, e aquela que é uma das maiores canções de término de relacionamento, It’s Not Right, But’s Okay

As polêmicas da cantora Whitney Houston 

Apesar de ser uma artista popular e com muitos fãs, Whitney também lutava contra a depressão desde a adolescência. Para amenizar os sintomas, ela começou a usar drogas, como cocaína e maconha, além das bebidas alcoólicas. 

A dependência acompanhou a cantora durante muitos anos, levando-a a se afastar da mídia, inclusive com idas para a reabilitação. 

O casamento com Bobby Brown foi cheio de turbulências. Os abusos dos dois eram constantes e até mesmo casos de agressão contra a cantora foram reportados durante os 12 anos de casados. 

Whitney Houston e Bobby Brown
Créditos: Divulgação

A atmosfera pesada e o sofrimento constante acabaram afetando o desempenho da artista, que apareceu em produções televisivas no mínimo constrangedoras, que foram bastante criticadas pela mídia. 

Um novo horizonte para Whitney

As coisas ganharam um novo contorno com o divórcio dos artistas em 2007. Whitney retomou a sua personalidade e partiu para uma nova fase musical. 

Dois anos mais tarde, ela lançou seu sétimo álbum de estúdio, I Look To You, com uma sonoridade gospel, que trouxe uma mensagem de renovação, o que foi bem recebido pela crítica. 

O contato com a religião e a ida para a psicoterapia ajudaram Whitney a aliviar as tensões e a se sentir bem consigo mesma por meio das orações. Contudo, problemas voltariam a aparecer. 

A despedida de Whitney Houston 

A perseguição e as ameaças do ex-marido e o afastamento da terapia ocasionaram o retorno de um quadro depressivo, levando a uma recaída da cantora. 

Outros problemas familiares também afetaram a saúde mental de Whitney, como o vício da filha Bobbi Kristina em drogas, o que levava a brigas entre as duas e ao sentimento de a artista não ter sido uma boa mãe. 

Whitney com sua filha Bobbi Kristina
Whitney com sua filha Bobbi Kristina / Créditos: Divulgação

Com tamanha pressão, Whitney realizava tratamento por meio de ansiolíticos e sua disputa pessoal contra o uso de drogas se tornava mais árdua e complicada, deixando as aparições mais esporádicas. 

Infelizmente, em 11 de fevereiro de 2012, um dia antes do Grammy daquele ano, Whitney foi encontrada desacordada na banheira de seu quarto em um hotel de Beverly Hills. Apesar das tentativas dos paramédicos de reanimá-la, a morte da cantora foi declarada momentos depois. 

Em autópsia realizada posteriormente, os médicos declararam que a causa do falecimento foi afogamento acidental, mas também foram encontrados vestígios de cocaína em seu organismo.

O uso constante de remédios também foi apontado como inibidor dos reflexos, o que pode ter ocasionado a fatalidade. 

A cerimônia do Grammy contou com homenagens prestadas à artista e o clima de comoção foi enorme, afinal, um grande ícone nos dava adeus

Por uma triste coincidência, três anos mais tarde, sua única filha, Bobbi Kristina, foi encontrada desacordada em uma banheira, após uma overdose.

Resgatada, ela foi internada, porém os registros médicos já apontavam falência dos órgãos. Após meses em coma induzido, a jovem de 22 anos não resistiu e faleceu em junho de 2015

Com mais de 400 milhões de cópias vendidas, Whitney Houston impactou a indústria musical, como uma das mulheres negras mais sucedidas da história, com sua voz e talento indiscutíveis. 

Whitney permanece eterna 

A biografia da cantora Whitney Houston é cheia de nuances e hoje temos o acesso a sua discografia incrível para celebrar essa artista inesquecível.