Área 51

Black Alien

Esse é o retorno do cretino
Dos clássicos, hits, hinos, e o bolso cheio de pino
Vai vendo, só veneno na visão de zoom
Bebendo cachaça no bar da Área 51
Check it

Hell no planeta Terra, papel caneta e guerra
Visibilidade zero, cegos na motosserra
Eu me dirijo pro inferno sem escala
Elegante de terno e boot, meu traje de gala
Debaixo foi a minha melhor escalada
Esculacho, o mundo deu volta, agora bem melhor calados
Eu peço ao Pai por essas almas
Pra onde o mundo vai, pois aqui nenhum tem pai e todos têm armas
Regentes dessa sinfonia distorcida
Afina a sintonia e me diz aí o que diz a torcida
Moleque, sebo nas canela fina de black jeans
Logo cedo nas esquinas, o que Black diz
Não ir pra frente é retrocesso, nada que vale a pena é fácil
Encara o processo, é assim que eu faço
Quem precisa de correntes de ouro pra ser Gustavo?
Quem precisa de correntes de ferro pra ser escravo?

Plantas já me dão tédio
Plantas me dão o remédio
Plantas me dão o prédio se o cofre é o que eu quero
Vim pesadão ninguém vai me derrubar
E problema com pó quem tem é o dono do bar
Plantas já me dão tédio
Plantas me dão o remédio
Plantas me dão o prédio se o cofre é o que eu quero
Vim pesadão ninguém vai me derrubar
E problema com pó quem tem é o dono do bar

Vital pra mim que nem a moto pra Vital
Paralama do meu sucesso, de fábrica, original, é minha coragem
Flow sotaque elétrico em alta voltagem
Alço voo na métrica até voltar de viagem
Meus refrões, mantras
Cifrões e pilantras
Veja o que a arca de Noé fez só com um casal de antas
Se tá tudo pela ordi, então, irmão, é só pógresso
Ainda bem que eu não recebo ordem, e nem tudo que eu peço
Invicto no fracasso, invicto no sucesso
A gata mia, boemia aqui não me tens de regresso
De boa aqui na minha, não foi sempre assim, confesso
Levitei em excesso, neve tem em excesso
A costela quebrada me avisa quando eu respiro
A favela e a quebrada te avisam quando me inspiro
Tiro do fundo do peito, dropo com muito respeito
A frase que muda a escolha de alguém no parapeito
Foda-se o inferno de Dante, eu não quero é o de antes
É sangue, suor, e lágrima, ou mais inferno adiante

Plantas já me dão tédio
Plantas me dão o remédio
Plantas me dão o prédio se o cofre é o que eu quero
Vim pesadão ninguém vai me derrubar
E problema com pó quem tem é o dono do bar
Plantas já me dão tédio
Plantas me dão o remédio
Plantas me dão o prédio se o cofre é o que eu quero
Vim pesadão ninguém vai me derrubar
E problema com pó quem tem é o dono do bar

Composição: Black Alien
Enviada por João. Revisão por Igor.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Black Alien

Ver todas as músicas de Black Alien