Se Leonardo Da Vinte...

Bezerra da Silva

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Levei um bote perfeito
Com um baseado
Aceso na mão
Tomei um sacode
Regado a tapa
Pontapé e pescoção

Eu fui levado
Direto à presença
Do dr. Delegado
Ele foi logo gritando
Vai se abrindo malandro, e me conta tudo como foi
Eu respondi
Se Leonardo dá vinte dr
Por que é que eu não posso
Dá dois?

A parada é essa, ai o doutor mandou assim pro malandro, se liga

Leonardo é Leonardo
Me disse o doutor
Ele faz o que bem quer
E está tudo bem
Infelizmente é que
Na lei dos homens
A gente vale o que é
E somente o que tem
Ele tem imunidade pra dá
Quantos quiser
Porque é rico, poderoso
E não perde a pose
E você que é pobre, favelado
Só deu dois
Vai ficar grampeado
No doze

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Levei um bote perfeito
Com um baseado
Aceso na mão
Tomei um sacode
Regado a tapa
Pontapé e pescoção

Eu fui levado
Direto à presença
Do dr. Delegado
Ele foi logo gritando
Vai se abrindo malandro e me conta tudo como foi
Eu respondi
Se Leonardo dá vinte dr
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Leonardo é Leonardo
Me disse o doutor
Ele faz o que bem quer
Está tudo bem
Infelizmente é que
Na lei dos homens
A gente vale o que é
E somente o que tem
Ele tem imunidade pra dá
Quantos quiser
Porque é rico, poderoso
E não perde a pose
E você que é pobre, favelado
Só deu dois
Vai ficar grampeado
No doze

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Se Leonardo dá vinte
Por que é que eu não posso
Dá dois?

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Mesmo apertando na encolha
Malandro!
Pinta a sujeira depois

Composição: Bezerra Da Silva / Walter Coragem / G. Martins
Legendado por Maria e diegomansonhell@hotmail.com. Revisões por 6 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog