Si Un Día Vuelves (part. Abel Pintos)

Beatriz Luengo

Original Tradução Original e tradução

Tradução automática via Google Translate

Si Un Día Vuelves (part. Abel Pintos)

Las hojas rotas no pueden ir muy lejos
Se arrastran solas, llevadas por el viento
En tu memoria escribiré los restos de mi alma rota
De esta alma rota

Fuiste el agua para sanar mi vida
Hoy eres lluvia que escuece en cada herida
No tengo nada a cambio de que vuelvas
Sólo las ganas

Quizá no fui capaz de hacerte reír
De la felicidad soy una aprendiz
Pero lo intento
¡Cuánto lo intento!

Quizá no soy perfecto como esperabas
Pero en tratar de serlo nadie me gana
Siempre lo intento
¡Cuánto lo intento!

Si un día vuelves con ganas de rendirte
De andar buscando a alguien que ya no existe
Estoy aquí, sigo aquí

Si un día vuelves porque lo que buscabas
No lo encontraste y nadie te lo da
Yo estoy aquí, sigo aquí

Las mariposas no viven mucho tiempo
Son tan hermosas pero entre sus recuerdos
Tienen presente que no nacieron bellas
Que sin sus alas no valen nada

Siempre cuestionas mi falta de confianza
No me enseñaron a ser yo quien ganaba
Nunca subí a recoger medallas
Pero soñaba

Quizá no fui capaz de hacerte reír
De la felicidad soy un aprendiz
Pero lo intento
¡Cuánto lo intento!

Quizá no soy perfecta como esperabas
Pero en tratar de serlo nadie me gana
Siempre lo intento
¡Cuánto lo intento!

Si un día vuelves con ganas de rendirte
De andar buscando a alguien que ya no existe
Estoy aquí, sigo aquí

Si un día vuelves porque lo que buscabas
No lo encontraste y nadie te lo da
Yo estoy aquí, sigo aquí

No pienses que me equivoqué
Tú me hiciste ser mejor
Aprendí que este dolor era parte de crecer

Me enseñó la oscuridad
A ver la luz sin ver el sol
Soy más fuerte que era ayer
Todo vale por tu amor

Si un día vuelves con ganas de rendirte
De andar buscando a alguien que ya no existe
Estoy aquí, siempre estuve aquí

Se um dia retorna (parte Abel Pintos)

As folhas quebradas não podem ir muito longe
Eles rastejam sozinhos, carregados pelo vento
Em sua memória eu vou escrever os restos da minha alma quebrada
Desta alma quebrada

Você foi a água para curar minha vida
Hoje você é a chuva que pica em cada ferida
Eu não tenho nada em troca de você
Apenas o desejo

Talvez eu não tenha conseguido te fazer rir
De felicidade eu sou um aprendiz
Mas eu tento
Quanto eu tento!

Talvez eu não seja perfeita como você esperava
Mas ao tentar ser ninguém vence
Eu sempre tento
Quanto eu tento!

Se um dia você voltar querendo se render
À procura de alguém que já não existe
Estou aqui, ainda estou aqui

Se um dia você voltar porque o que você estava procurando
Você não encontrou e ninguém dá a você
Estou aqui, ainda estou aqui

Borboletas não vivem muito
Eles são tão bonitos, mas entre suas memórias
Tenha em mente que as belas não nasceram
Que sem suas asas eles são inúteis

Você sempre questiona minha falta de confiança
Eles não me ensinaram a ser quem ganhou
Eu nunca subi para recolher medalhas
Mas eu sonhei

Talvez eu não tenha conseguido te fazer rir
De felicidade eu sou um aprendiz
Mas eu tento
Quanto eu tento!

Talvez eu não seja perfeita como você esperava
Mas ao tentar ser ninguém vence
Eu sempre tento
Quanto eu tento!

Se um dia você voltar querendo se render
À procura de alguém que já não existe
Estou aqui, ainda estou aqui

Se um dia você voltar porque o que você estava procurando
Você não encontrou e ninguém dá a você
Estou aqui, ainda estou aqui

Não pense que eu estava errado
Você me fez melhor
Eu aprendi que essa dor era parte do crescimento

Ele me ensinou a escuridão
Para ver a luz sem ver o sol
Sou mais forte do que ontem
Tudo é para o seu amor

Se um dia você voltar querendo se render
À procura de alguém que já não existe
Estou aqui, sempre estive aqui


Posts relacionados

Ver mais no Blog