Alguien

Beatriz Luengo

Original Tradução Original e tradução

Tradução automática via Google Translate

Alguien

Trato de imaginar
Calles donde nunca pude estar
Será mi afán de inventar un lugar
Donde te pueda encontrar

Y busco y no aparece nadie
Será porque no existe nadie

Nadie como tú
Que me ilumine el amanecer
Lleno de tanta luz
Que ciega mis ojos y no me deja ver

Yo busco y no encuentro a nadie
Será porque no existe nadie

Nadie como tú, oh oh oh
Alguien como tú, oh oh oh
Alguien como tú, alguien
Alguien como tú, alguien

Trato de consolar
A mi paciencia y comprender
Que aunque te escriba mil renglones
Tú no respondes mis porqués

Y busco y no encuentro a nadie
Será porque no existe nadie

Nadie como tú, oh oh oh
Nadie como tú, oh oh oh
Alguien como tú, no hay nadie
Alguien como tú, no hay nadie

Ni nadie como yo
Que busque en las profundidades de los mares
Estrellitas para que decores tus altares
Nadie que dibuje tu silueta entre corales
Nadie que suspire tus respiraciones, nadie

Y nadie que te cuide como yo

No hay nadie que te quiera como yo
Nadie como yo que pueda amarte
Nadie que te de lo que yo pude darte
Nadie

Trato de imaginar
Calles donde nunca pude estar

Alguém

Eu tento imaginar
Ruas onde eu nunca poderia estar
Será meu desejo inventar um lugar
Onde posso encontrar você?

E eu olho e ninguém aparece
Será porque ninguém existe

Ninguém como você
Que a alvorada me ilumine
Cheio de tanta luz
Isso cega meus olhos e não me deixa ver

Eu olho e não consigo encontrar ninguém
Será porque ninguém existe

Ninguém gosta de você, oh oh oh
Alguém como você, oh oh oh
Alguém como você, alguém
Alguém como você, alguém

Eu tento confortar
Para minha paciência e compreensão
Que embora eu te escreva mil linhas
Você não responde meus porquês

E eu olho e não consigo encontrar ninguém
Será porque ninguém existe

Ninguém gosta de você, oh oh oh
Ninguém gosta de você, oh oh oh
Alguém como você, não há ninguém
Alguém como você, não há ninguém

Nem ninguém como eu
Eu procurei nas profundezas dos mares
Pequenas estrelas para decorar seus altares
Ninguém que desenhe sua silhueta entre os corais
Ninguém que respira a respiração, ninguém

E ninguém para cuidar de você como eu

Não há ninguém que te ame como eu
Ninguém gosta de mim que pode te amar
Ninguém para te dar o que eu poderia te dar
Ninguém

Eu tento imaginar
Ruas onde eu nunca poderia estar


Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Beatriz Luengo

Ver todas as músicas de Beatriz Luengo