Poema Doméstico

Banda Trinidad

Da minha parede caem cocada pintura
Do meu carro calotas soltam-se nas curvas
Da minha língua palavras de barro saem prontas
Da descarga não aproveito nada

Dos meus ombros não se recolhem favos
Do meu troco não saem sustentáculos
No chuveiro um choque te chateia
Mas você não pense que eu não vejo

Você não pense que eu não vejo
Não pense que eu não vejo
Você não pense que eu não vejo
Não pense que eu não vejo

Eu bato as cinzas pra recuperar o fogo
Eu te recolho pra te estender de novo
Eu te alcanço e perco as minhas contas
Reconquistar as partes
Recuperar as partes
Realinhar

Você não pense que eu não vejo
Não pense que eu não vejo

Eu me protejo pra me render ao gozo
Eu te obedeço pra te levar de novo
Eu te perdoo porque tudo dói um pouco
Reconquistar as partes
Recuperar as partes
Realinhar

Você não pense que eu não vejo
Não pense que eu não vejo
Realinhar, realinhar

Composição: Marcelo Tadeu / Marco Aur / Renato Boechat
Enviada por Rodolfo.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog