Reflexões À Luz de Uma Estrela Solitaria

Arthur Diniz

Uma estrela no céu
E a cidade iluminada
No meu calmo desespero
Observo da minha sacada

Essa estrela no céu
Deve se sentir bem solitária
Num universo tão grande
Sozinha pela madrugada
Fria madrugada

Ó pobre estrela como é que você faz
Para não se sentir tão só?
Nessa madrugada
Fria madrugada

Eu te entendo, pobre estrela
As vezes eu também me sinto só

E não importa o quão grande você seja
Pobre estrela
O vazio que te cerca
Sempre será maior
Maior, maior

Sentado na varanda eu reflito
Com um sorriso descontente
Ó pobre estrela
Talvez nós não sejamos tão diferentes

Uma estrela no céu
E a sua luz quase apagada
Cedendo espaço pra escuridão

Essa estrela no céu
Já não consegue sentir nada
A madrugada esfriou seu coração

E não importa o quão grande você seja
Pobre estrela
A escuridão que te cerca
Sempre será maior
Maior, maior

Sentado na varanda eu reflito
Com um sorriso descontente

Ó pobre estrela
Talvez nós não sejamos tão diferentes
Talvez nós não sejamos tão diferentes
Talvez nós não sejamos tão diferentes

Uma estrela no céu
E sua luz já não existe mais
Só lembranças de uma madrugada
Que ficou pra trás

Enviada por Julia. Legendado por Jullia. Revisões por 2 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Arthur Diniz

Ver todas as músicas de Arthur Diniz