Flores Mortas

Arthur Diniz

Da minha boca saem flores
Que por vezes me sufocam
E se tornam as raízes da minha agonia
É que eu tento enxergar o mundo de uma forma bela
Mas o mundo não é belo e você já sabia

O mundo não é belo e você já sabia, não?
Raízes que nos nutrem nos mantém presos ao chão
Não é tão difícil viver sem felicidade
Não existe amor nessa cidade

E o que eu tenho a oferecer
Você se importa?
É um conjunto de ideias tortas
E um buquê de flores mortas
Eu também não gosto da realidade
Você também não é de verdade

Da minha boca saem flores
Que por vezes me sufocam
E se tornam as raízes da minha agonia
É que eu tento enxergar o mundo de uma forma bela
Mas o mundo não é belo e você já sabia

Da minha boca saem flores
Que por vezes me sufocam
E se tornam as raízes da minha agonia
É que eu tento enxergar o mundo de uma forma bela
Mas o mundo não é belo e você já sabia

Se for pra enterrar viva essa dor e viver normalmente
Eu faço com facilidade
Se for pra fingir que tudo é lindo
Bom, sinceramente, eu largo da sinceridade

Quando da vontade de sentir eu deixo um pouco passar
E a letra fica meio triste
Mas se me pagarem o suficiente
Eu faço mais uma love song e retiro o que eu disse

Da minha boca saem flores
Que por vezes me sufocam
E se tornam as raízes da minha agonia
É que eu tento enxergar o mundo de uma forma bela
Mas o mundo não é belo e você já sabia

Da minha boca saem flores
Que por vezes me sufocam
E se tornam as raízes da minha agonia
É que eu tento enxergar o mundo de uma forma bela
Mas o mundo não é belo e você já sabia

Enviada por Second. Legendado por Jullia.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Arthur Diniz

Ver todas as músicas de Arthur Diniz