Silêncio

Alexandra

Silêncio!
Do silêncio faço um grito
O corpo todo me dói
Deixai-me chorar um pouco
De sombra a sombra
Há um Céu tão recolhido
De sombra a sombra
Já lhe perdi o sentido

Ao céu!
Aqui me falta a luz
Aqui me falta uma estrela
Chora-se mais
Quando se vive atrás dela

E eu
A quem o Sol esqueceu
Sou a que o mundo perdeu
Só choro agora
Que quem morre já não chora

Solidão!
Que nem mesmo essa é inteira
Há sempre uma companheira
Uma profunda amargura

Ai, solidão
Quem fora escorpião
Ai! Solidão
E se mordera a cabeça!
Adeus
Já fui para além da vida
Do que já fui tenho sede
Sou sombra triste
Encostada a uma parede

Adeus
Vida que tanto duras
Vem morte que tanto tardas
Ai, como dói
A solidão quase loucura


Posts relacionados

Ver mais no Blog