Mi Marciana

Alejandro Sanz

Original Tradução Original e tradução
Mi Marciana

Te juro que es verte la cara y mi alma se enciende
Y sacas al sol las pestañas y el mundo florece
Y dejas caer caminando un pañuelo y mi mano sin mi lo recoge
Tienes la risa más fresca de todas las fuentes

Eres el timbre del nido de mis gorriones
Hueles a hierba y me sabes a tinta y borrones
Eres el rayo de mayo, mis letras, tus cremas cantando en el coche
Cuando juntamos las sillas me siento tan torpe

Y tienes guardados abrazos que abarcan ciudades
Tienes un beso de arroz y de leche en el valle
Y dices que vienes de marte y vas a regresar, vamos que te irás
Pero es que a veces, tan solo a veces lo que está siendo es lo que parece
A veces parece que te hayas marchado ya

Mi hembra, mi dama valiente se peina
La trenza como las sirenas y rema en la arena si quieres
Ay mi hembra, tus labios de menta te quedan mejor con los míos
Si rueda mejor tu sonrisa si muerde
Ay mi hembra

¿Te acuerdas de cuando empezaron los amaneceres?
Siento que la madrugada nos hizo más fuertes
Y luego la charla tranquila entre gotas las mías hicieron su parte
Luego se juntan las sillas, las voces se duermen
Y cierto las lagrimas caen pero no tienen nombre
Y creo que tú confusión te la quito en un baile
En eso consiste la libertad, en no renunciar a entregarte más
Tú a mí me gustas tal como eres
Si a ti te pasa lo mismo y quieres
Nos vamos pa'lante y llegamos hasta el final

Mi hembra, mi dama valiente se peina
La trenza como las sirenas y rema en la arena, si quiere
Ay mi hembra, tus labios de menta te quedan mejor con los míos
Si ruedan mejor tu sonrisa si muerde
Ay mi hembra

Mi hembra

Minha Marciana

Eu juro que é só te ver, minha alma se acende
E colocas os cílios ao sol e o mundo floresce
Deixas cair caminhando um lenço e minha mão o recolhe sem que eu veja
Você tem o riso mais fresco de todas as fontes

Você é a som do ninho de meus pardais
Você cheira à plantas e me conhece por inteiro
Você é o raio de maio, minhas letras, seus cremes cantando no carro
Quando juntamos as cadeiras eu me sinto tão desajeitado

Tem guardados abraços que cobrem cidades
Tem um beijo de arroz e leite no vale
E você diz que vem de Marte e vai voltar, vamos que vai embora
Mas algumas ás vezes, só ás vezes o que esta acontecendo é o que parece
Ás vezes parece que você já tenha ido embora

Minha mulher, minha senhora corajosa se penteia
Trança os cabelos como as sereias e rema na areia se quer
Ah, minha mulher, seus lábios de hortelã ficam melhor com os meus
Se rolam melhor seu sorriso se morde
Ah, minha mulher

Se lembra de quando começaram os amanheceres?
Sinto que a madrugada nós fez mais fortes
E logo a conversa tranquila entre gotas as migalhas fizeram sua parte
Logo se juntam as cadeiras, as vozes se dormem
E sento as lágrimas caindo mas elas não tem nome
E acho que sua confusão eu tiro em uma dança
Em isso consiste a liberdade, em não desistir a te entregar mais
Eu gosto de você como você é
Se acontece o mesmo com você e quiser
Nós vamos seguir até chegar ao final

Minha mulher, minha senhora corajosa se penteia
Trança os cabelos como as sereias e rema na areia, se quer
Ah, minha mulher, seus lábios de hortelã ficam melhor com os meus
Se rolam melhor seu sorriso se morde
Ah, minha mulher

Minha mulher

Composição: Alejandro Sanz
Enviada por Andressa e traduzida por Laura. Legendado por Luiza. Revisões por 3 pessoas.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog