Valha-me Deus!

Alaíde Costa

Não fui eu o pecador
Que prometeu, depois negou
E ao renegar se machucou de vez
Se apedrejou com as suas próprias leis
E eram leis ilegais, indecentes, venais
Baseadas na insensatez

Valha-me, ó Deus, te dar perdão!
Mas ai do meu amor, ai que desilusão!
É uma questão de se aperceber
E a sentença é se saber julgar
Se eu te devo reter, se eu te devo odiar
Te punir ou te expulsar

Não posso mais é me ferir de um jeito assim
Expor as chagas desse amor, sei que não vou
Não sou chinelo pra você me usar
No que arrastou, dependurou!
Nem sou pandeiro pra você me batucar
E desse jeito eu me esborracho, eu me enrasco
Mas assim não dá!
Perdão, não dou
E pode gastar seu joelho e o seu terço
Que eu me torço, mas perdão não dou
Errou, levou o troco na mesma moeda com que me pagou!

Valha-me, ó Deus, te dar perdão!
(Não fui eu o pecador)
Mas ai do meu amor, ai que desilusão!
(Que prometeu, depois negou)

Não posso mais é me ferir de um jeito assim
Expor as chagas desse amor, sei que não vou
Não sou chinelo pra você me usar
No que arrastou, dependurou!
Nem sou pandeiro pra você me batucar
E desse jeito eu me esborracho, eu me enrasco

Mas assim não dá!
Perdão, não dou
E pode gastar seu joelho e o seu terço
Que eu me torço, mas perdão não dou
Errou, levou o troco na mesma moeda que pagou!

Vou te escorraçar, vou até torcer
Pra você errar, que é para de novo se roer
Vou te espicaçar, vou te ofender
Vou te machucar que é para você não esquecer
Mas vou te enxovalhar, vou te entristecer
Vou te afogar na água da chuva que escorrer
Vou te enlamear, vou te enlouquecer
Eu vou te lembrar que é pra você nunca se esquecer

Composição: Baden Powell / Hermínio Bello de Carvalho
Enviada por Paulo.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Alaíde Costa

Ver todas as músicas de Alaíde Costa