April Showers

Aimer

Original Tradução Original e tradução
April Showers

nagai ame ni tōzakaru koe
ashi o tomete machi o nagameru
kemuru sora ga doko ka kirei de
natsukashī basho ni kawatte

itsumo soba ni ite kureta yo ne
niwaka ame ni tachitsukusu hi mo
fui ni ukabu sugita keshiki to
kokage no shita amayadori

chīsakute osanai sore wa marude
nakimushina dareka mitaide

shigatsu no ame nureta hane
hibari wa mada tobezu ni iru
asai haru no tsumetasa ni
mi o subomete toki o machi tsudzukeru

hizashi no tane awai yume
habataku made uta o soete
tōi sora no kirema e to gogatsu no hananomei o
ima wa shirazu ni

nagai kage to yobikakeru koe
tokiwotomete hoshi o mita yoru
nemuru mae ni kawashita kotoba
nakukushitakunai mono bakari

chīsakute osanai sore wa itsumo
naiteita soba ni itakute
nakukusenai mono fueru tabi
atatakasa ni shizunde yuku
tōriame no tsumetasa ni mi o subomete aruki dasezu ni iru

yuzurenai mono hitotsu dake
kaban no naka shimai konde
ima demo mada oboeteru migite no nukumori to uta o tayori ni

tōku hibiku raimei ni wa
haru no arashi no temaneki no ne
itsuka koko de onaji keshiki o miteta

shigatsu no ame kaze ni yure
hibari wa ima sora o miage
asai haru no tsumetasa ni mi o yudanete
hane o hirogete yuku

yuzurenai mono hitotsu dake
kaban no naka shimai konde
tōi sora no kirema e to hanasaku gogatsu e to
kasa mo sasazu ni

Chuvas de Abril

Ao ouvir uma voz fraca no meio da chuva
Parei de andar para contemplar a cidade
O céu nublado está se transformando
Em um lugar bonito e nostálgico

Você sempre ficou ao meu lado
Você até ficou nos dias em que a chuva caia incessantemente
Mesmo enquanto o cenário passava inesperadamente
Sob o abrigo das árvores

O algo pequeno e jovem é como
Um certo alguém que chora facilmente

A cotovia ainda não pode voar
Suas asas foram encharcadas pelas chuvas de abril
No frio do início da primavera
Ela se agasalha, aguardando a passagem do tempo

Assim como esse sonho com cores suaves é adornado por sementes da luz do sol
Vou recitar poemas para a cotovia até que suas asas possam bater novamente
E que possa voar para os céus distantes
Sem ainda saber o nome da flor de maio

Uma longa sombra e uma voz me chamando
A noite em que parei o tempo e vi as estrelas
Palavras trocadas antes de ir dormir
Estas são todas as coisas que eu não quero perder

O algo pequeno e jovem
Está sempre chorando, querendo ficar ao meu lado
Quando as coisas que você não pode perder só aumentam
Submergindo tudo no calor
Na frieza da chuva que passa, agasalha seu corpo e fica imóvel

A única coisa que não posso perder
Está enterrada dentro da minha bolsa
Mesmo agora, enquanto eu dependo de uma música, ainda me lembro do calor da sua mão direita

O eco distante do trovão estrondoso
É o som da tempestade da primavera
Vou ver o mesmo cenário aqui algum dia

A chuva de abril é balançada pelo vento
A cotovia agora está olhando para o céu
No frio do início da primavera
Abrindo suas asas em abandono

A única coisa que não posso perder
Está enterrada dentro da minha bolsa
Eu irei para os céus distantes, e vou para o mês de maio, onde as flores desabrocham
Sem abrir meu guarda-chuva

Enviada por Mayo e traduzida por Laralissia. Legendado por Tsudokato.
Viu algum erro? Envie uma revisão.

Posts relacionados

Ver mais no Blog


Mais músicas de Aimer

Ver todas as músicas de Aimer